Geral

Planejamento e folga

Com a chegada da Golden Four Brasília, também se aproxima meu período de folga dos treinos. Como falei ontem, vou interromper as planilhas com o Adriano Bastos. Logo após a Golden Four, vou me dar pelo menos cinco dias de descanso, sem correr e sem fazer nada de exercício. Talvez volte a trotar no sábado ou domingo. Depende de como o joelho vai estar. Se melhorar, saio para correr. Se sentir que ainda não está 100%, prolongo o descanso. Treinar é legal, mas descansar depois de quase 7 meses sem parar mais do que um dia também é.

Desde abril, tenho corrido na média de 24 dias por mês. É bastante, mas nada que eu não goste de fazer. Só que é bom também parar e dar um tempo de correr. O corpo e as pernas merecem um descanso. Correr 12 meses, 20 meses direto não é bom. Uma hora vai travar o sistema. Para evitar problemas futuros, paramos antes, damos uma folga para que tudo se recupere e voltamos sem pressa, sabendo o que e como precisa ser feito. Meu novembro vai ser bem menos disciplinado do que os meses anteriores. Corridas recreativas e sem pretensão.

Os cinco dias podem se prolongar e virar sete ou dez. Não tenho certeza. Vou deixar acontecer. Só sei que quando voltar, mesmo devagar e nos trotes, quero manter a rotina de correr cinco vezes por semana, como venho fazendo. Até janeiro vou focar nos estudos, principalmente. A corrida vai ser a válvula de escape. Como não tem mais nenhuma prova alvo, vai ser mais tranquilo. É um período bom para tirar férias. A única prova programada depois da Golden Four é a Corrida de Angelina. Estou inscrito nos 5 km e pretendo correr fantasiado de vaquinha, como em 2013.

Participar da corrida em Angelina pode me fazer voltar antes aos treinos, só para não perder tanto o preparo. Se tudo der certo na nossa transmissão e eu conseguir correr lá, quero fazer um tempo bom, ritmo de meia maratona, no mínimo. No entanto, há a questão do joelho. Ele já está bem melhor do que na semana passada, mas não 100%. Pode ser que eu vá para Angelina depois de duas ou três semanas sem correr. O tempo vai dizer o que é melhor. Novembro vai ser um mês de folga quase geral, ampla e irrestrita.

Dependendo de como as coisas evoluírem, em dezembro começo a fazer o período de base. Base pensando em quê? Não faço ideia, mas só para estar preparado para o ano que virá. Vai ser verão, deve estar quente e é uma boa forma de se preparar. Pode ser que eu corra a Floripa Night Run dia 12 de dezembro, mas isso ainda está em análise. O certo é que o ano competitivo acaba depois da Golden Four Brasília. Estico um pouco até Angelina e termina de vez. E vou dizer para vocês: estou contando os dias para a folga e para botar as pernas para o ar.

(Visited 61 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

2 thoughts on “Planejamento e folga

  1. E aí Enio,
    Também estou ansioso pela prova. Para mim, esta proximidade com o FIM DE ANO proporciona à prova um espírito de “missão cumprida” durante 2015.
    Gostaria de estar 100%, mas é difícil passar ileso por todas as séries de treinamento. Somente maturidade para respeitar os limites principalmente quando estamos bem, naqueles meses de junho e julho!!
    Nos encontramos na expo, na retirada dos kits !!!

    Você podia fazer uma palestra lá !!!

    Boa prova!!

    1. É como se fosse o fechamento das provas, né?
      Se não fosse o joelho, eu estaria praticamente 100%. Faz parte. Vamos em frente!
      Não sei quanto tempo vou ficar na expo e nem que horas. Na verdade, só sei onde vou estar sexta e domingo à noite (no aeroporto) e domingo de manhã (na corrida).
      Quando à palestra, a Asics não é doida hahaha.
      Boa prova para nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *