Geral

Corrida bovina

No sábado passado aconteceu a 7ª Corrida de Rua Cidade de Angelina. Fizemos a transmissão ao vivo. Mais de cinco horas. Coisa linda. Mas hoje o assunto é a corrida em si, a de 5 km que participei vestido de vaquinha. O dia anterior foi nublado e com chuvas esparsas. No sábado, São Pedro colaborou e não abriu as torneiras. Nenhum pingo de chuva. Antes, durante e depois da prova, o tempo estava nublado, mas bem abafado. O sol, quando muito, apareceu perto do meio-dia.

A largada foi às 16h30 e estava abafado. Todo mundo reclamou do calor para correr. Os campeões das provas de 5 e 10 km fizeram tempos muito acima do que os das edições anteriores. Além do calor, os corredores teriam as subidas e descidas do percurso para enfrentar. Não é nada de outro mundo, mas quebra o ritmo, ainda mais de alguém com treinos capengas como eu. E também com uma fantasia e um boné. Foi uma experiência bem quente.

Meu plano era correr abaixo de 5 min/km, mas fiz tudo errado. Primeiro, não me aqueci. Não teve como. A transmissão e a troca de roupa tomaram todo esse tempo. Segundo, larguei muito forte. Por sinal, a largada já é uma subida. Depois ainda tive mais três subidas no percurso de 5 km pela frente. No primeiro quilômetro já senti que ia ser difícil. Nem tanto pela fantasia, mas mais pelas pernas que não parecia dispostas a responder os esforços que eram solicitados.

Como larguei bem atrás, tive que desviar dos corredores para ultrapassá-los. Seria melhor correr em linha reta, mas passar pela calçada foi legal também. Tive um contato maior com o público. Fiz o 1º km a 4:46, mas já sentindo que não ia sair nada melhor. O 2º fiz a 5:26 e no terceiro fiz 5:13, aproveitando uma boa descida. No 4º saiu um 5:19 e no 5º km saiu um 5:06. Em Angelina, os 10 km tem menos de 10 e os 5 km tem um pouco mais.

Corri 5,16 km pelo Garmin (o que não é uma diferença tão enorme assim) em 26:41, ritmo médio de 5:10 min/km. Senti a falta de treinos e o tempo parado. A corrida não rendeu como esperava. Ah, mas vocês estava vestido de vaquinha, isso não atrapalhou? Não muito. O pior foi o boné que esquentou minha cabeça, ficava retendo o calor. De resto, foi tranquilo. Nem lembrava que estava fantasiado com uma calça e uma roupa mais pesada.

Houve momentos que me lembrei de estar vestido de vaquinha. Um deles foi no segundo quilômetro. Parece que juntou todo o calor que não estava sentindo com o esforço do 1º km e ficou bem abafado. Depois, foi tranquilo. Os outros momentos todos que eu lembrava de estar de vaquinha era quando passava pelas pessoas. Devo reconhecer que a fantasia chamava um pouco a atenção das pessoas. Aliás, havia muitas pessoas apoiando nas ruas. Mais que em Floripa.

A falta de treinos cobrou o preço. Não fiz o tempo que queria, mas analisando depois os ritmos da corrida, até que não foi de todo ruim. Correr com média de 5:10 min/km me pareceu bem razoável. Foram seis treinos em ritmo lento depois de doze dias parados. O ritmo médio não ficou abaixo de 5 min/km, mas, nas condições do momento, ficou bem aceitável. Durante a corrida, parecia que eu estava me arrastando. O Garmin mostrou que não foi bem assim.

(Visited 71 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *