Geral

Cadê o sinal?

Na semana passada, fiz um post falando dos começos dos treinos. Dou um tempinho para o GPS se estabilizar e o corpo aquecer. Pois bem. Na mesma semana, depois de escrever o post, o GPS resolveu brincar comigo. Nem sempre o sinal é localizado rapidamente. Não sei bem o que define a rapidez de localização, mas tem dias que demora muito mais e tem dias em que tudo acontece em questão de segundos.

No dia da pegadinha do GPS, desci, liguei o Garmin, fiquei esperando, esperando e nada. Chegou até a ativar o modo repouso de energia. Dei mais uma chance para o sinal se achar e nada. Já tinha perdido quase dez minutos parado esperando. Decidi então sair correndo bem devagar, trotando pelas ruas, para ver se o sinal conseguia se encontrar nas ruas. Tem vezes que em movimento pelas ruas o sinal vem mais fácil.

Fui trotando pelas ruas, calmamente, sem pressa, aguardando o sinal do GPS. Fiz todo o trajeto que faço para aquecer. Foram quase quinze minutos trotando. Era dia de intervalado e sempre tem o ritual de aquecer para começar a fazer força. Acontece que cheguei na Beira Mar e nada do sinal. Nunca demorou tanto. Parei, desamarrei e amarrei o tênis de novo, para dar mais um tempinho para o sinal se achar. Nem sinal do sinal.

Já estava ficando sem escolha e não queria mais perder tempo. Comecei a pensar em como faria o intervalado. Usaria as marcações da Beira Mar e mudaria os tiros de 5′ para tiros de 1 km. Quando estava finalizando mentalmente que faria o treino todo ou uma parte sem sinal, eis que o maldito apareceu! Aleluia! Demorou MUITO, mas o sinal veio. Nessa brincadeira toda, iniciei o treino no Garmin com mais de dez minutos de atraso, além do horário normal.

Mesmo que já tivesse aquecido trotando os quase quinze minutos, não considerava aquilo bem parte do treino. Fiz o aquecimento e parti para os intervalados. Foi o dia que mais não entendi o GPS. Céu limpo, sem nuvens, ao ar livre e nada. A barrinha da localização do sinal estava cheio, não tinha mais para onde ir, só faltava sair do relógio e não ativava. Faltava alguma coisa. Foi demorado, mas o sinal surgiu e o intervalado saiu. Não sou tão escravo do GPS no que diz respeito a ritmos e a ficar olhando direto, mas na parte de ter que ligar o Garmin para começar de fato o treino, aí sou muito dependente.

(Visited 60 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

4 thoughts on “Cadê o sinal?

    1. Quando eu estava sem Garmin e sem vontade de usar o celular, ia sem nada mesmo.
      Mas se tenho um Garmin funcionando, ele TEM que funcionar haha.
      O que acontecia aqui era o do celular SEMPRE achar e bem rápido. Acho que por isso nunca foi muito preciso.

  1. Chegou a desligar e ligar o Garmin novamente?
    Quando acontece isso, reinicio o Garmin é tudo volta ao normal.
    É bem chato mesmo quando isso acontece.
    Geralmente quando saio de casa correndo, enquanto me troco, já deixo o Garmin na janela, localizando o sinal.
    E quando vou de carro em algum local, enquanto estaciono deixo o Garmin ligado no painel do carro, pega o sinal bem rápido.
    Talvez te ajude.
    Abs

    1. Ligar e desligar completamente não, mas o que fazia era cancelar a busca de satélites e começar de novo. Nesse dia, fiz umas 5 vezes. Não sabia mais o que fazer. Talvez devesse ter ligado e desligado mesmo.
      O ruim é que se deixo o sinal localizando na janela, ele some no elevador. Sempre fico uns 2 minutos na portaria do prédio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *