Tempo líquido


Das maravilhas que a tecnologia proporcionou, o tempo líquido nas corridas é uma delas. Antigamente, dava a largada e quem estava bem lá atrás acabava sempre com um tempo mais alto do que realmente havia feito.

A evolução das coisas e os chips deram uma ajudada nesse quesito. Gosto sempre de utilizar o tempo líquido das corridas em que participo. Geralmente, o tempo que faço no relógio dá igual ou com diferença de poucos segundos.

Antigamente, logo que largava e chegava já acionava o relógio. Por isso, muitas fotos que tenho da chegada das provas é olhando e apertando o Garmin. Nos últimos tempos, tenho adotado um procedimento diferente.

Logo na largada tento ligar o relógio assim que passo pelo tapete. No entanto, na chegada, dou um tempinho de alguns segundos. Passo pelo tapete e mais à frente é que desligo. O objetivo principal é sair na foto sem olhar o Garmin em caso de recorde.

Essa situação acaba proporcionando o ganho de alguns segundos no tempo líquido. Nas últimas corridas, tenho conseguido entre 3 e 5 segundos do tempo do relógio para o oficial. A foto da chegada fica melhor e ainda sei que provavelmente terei uns segundos para deixar o tempo menor.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *