Strava lança documentário com corredores da UTMB

Menina dos olhos. Assim é vista a UTMB. A Ultra Trail du Mont Blanc está para os ultramaratonistas de montanha assim como a Maratona de Boston está para os corredores de asfalto. Em 2019, cerca de quatro mil atletas compartilharam sua corrida no Strava, o que representa cerca de 50% dos participantes que completaram a última UTMB. No documentário lançado pelo Strava na última quinta-feira, 14, atletas falam sobre a importância do sono para eles e como fizeram para driblar duas noites em claro, necessárias para percorrer os 170km da prova.

Estudo realizado com 303 participantes da UTMB mostrou que dentre os finishers 72% relataram ter ficado acordados durante toda a corrida e ainda assim terminaram em menor tempo do que aqueles que dormiram. Outro dado apontado em estudo publicado pela revista científica PLoS One indica que competidores que aumentaram o tempo de sono antes da corrida também completaram a prova mais rapidamente. “A gente sabe que o mais recomendável para adultos é um sono consistente de sete a nove horas por noite. Surpreendentemente, evidências científicas mostram que ultramaratonistas que dormem menos durante a prova terminam mais rápido”, aponta Dr. Franco Martins, pneumologista e Médico do Sono na Faculdade de Medicina do ABC.

Em 2017, do total de 8.075 participantes, 2.459 inseriram dados no Strava. No ano seguinte, a mítica prova de montanha teve 9.181 corredores na linha de largada, sendo 3.603 atletas Strava. E, agora em 2019, dos 9.093, 4.159 registram suas provas na plataforma. Provavelmente, esse percentual pode até ser maior já que a extração de atividades pode ter perdido alguns corredores ao longo do caminho seja porque não finalizaram a prova seja porque os dispositivos ficaram sem bateria.

Dados do Strava apontam que quanto maior é a distância das provas de corrida de rua, a penetração de atletas da rede também aumenta. Um indicativo é o perfil do usuário do Strava, que têm maior probabilidade de serem corredores que têm o hábito de acompanharem seu treinamento na plataforma.

A distância com maior penetração de usuários do Strava na UTMB foi a OCC (60k), onde mais de 55% dos participantes inseriram seus resultados na rede. Vale lembrar que esta é uma corrida com duração entre quatro a doze horas, um cenário em que os participantes têm bateria suficiente para percorrer todo o caminho.

Ostentar um número de peito já é uma grande conquista. Isso porque primeiro é preciso somar dificílimos 15 pontos em três provas realizadas nos últimos dois anos (janeiro a dezembro) para então estar apto a participar de um sorteio. Em razão da grande procura, correr os 170km da UTMB é um misto de sorte com preparação. E, por falar em preparação, em relação ao sono, Dr. Franco sugere que o atleta acumule o máximo de horas possíveis de sono antes da prova, pode ser indo dormir mais cedo e/ou despertar mais tarde pela manhã (mesmo sem a necessidade de sono). O médico tem outras dicas:

  • cochilos profiláticos podem ser implementados antes da corrida, com aumento do tempo de sono. De cinco a sessenta minutos são os regimes mais adotados durante a prova.
  • evitar estimulantes como café.
  • evitar telas (celular, tablet etc.) à noite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *