Sem celular

Sou uma pessoa que utiliza muito, mas MUITO mesmo o celular. Ele está comigo durante quase 100% do tempo todos os dias. É mais fácil esquecer a carteira do que o celular ao sair de casa. Ele vai comigo para todos os lugares. É possível viver sem celular, mas é muito mais chato e sem graça. No entanto, como falei ali em cima, não fico 100% do tempo com o celular. Há um espaço mínimo durante uma parte do dia que fico bem longe do celular e não o levo comigo.

Este momento se dá quando saio para correr. Em treinos, não levo o celular. Gosto de correr com o mínimo de coisa fazendo peso ou presas a mim. O celular seria um peso a mais sem necessidade. Raríssimas vezes o utilizei durante um treino ou corrida. Quando isso aconteceu, invariavelmente esse treino era algo bem recreativo, tipo o Treino de Rancho Queimado a Angelina ou o trote no Parque da Cidade em Brasília. Se a corrida e o treino são mais sérios, nada de celular. Ele fica paradinho em casa.

Digamos que, em média, fico uma hora por dia longe do celular em dias de treino. Nas corridas, vou com o celular, mas deixo com alguém ou coloco no bolso da bermuda de compressão. O contato com o aparelho só acontece depois da prova. Ou seja, se um dia sair para treinar e acontecer alguma emergência ou alguém precisar me ligar, só vou ver depois que chegar em casa. O momento do treino é quando me desligo do mundo, de fato. Apenas eu e o Garmin correndo por aí.

Há dois momentos nos quais fico um longo tempo sem utilizar o celular: quando estou dormindo e quando estou correndo. Quando estou dormindo, ele está ali do lado. Correr dura menos do que dormir, mas é quando fico com maior distância dele. Acaba sendo menos importante levar o celular do que correr. É o meu momento de ficar longe de tudo, com aqueles pensamentos em trezentas coisas ao mesmo tempo. Resolvo vários problemas da minha vida e do mundo, mas depois esqueço quase tudo.

2 respostas a “Sem celular”

  1. Wow! E eu achava que era viciada! Mas eu corro com celular por varios motivos:
    1) Normalmente eu dirijo ate o local do treino: tenho 2 opcoes: ou deixo no carro ou vai comigo. Se deixar no carro morro de medo de abrirem o meu carro, levar meu carro, o celular, etc.
    2) Se eu corro, tb tenho medo de no meio do caminho quebrar uma perna, passar mal, me perder, e nao ter pra quem ligar. Sei la, paranoia.
    Se ‘e chato? ‘e muito. Tenho aquelas cintas “bags” ou quando vou com a hidratacao, a cinta. Enche o saco, mesmo porque agora que nao corro nem de fone nada, quero ser mais livre possivel. Mas eu ja levei muita bronca da familia, amigos e marido pelo vicio do celular. Agora estou me policiando tb!

    1. Sou totalmente dependente dele, mas para correr não tem jeito. Gosto dessa tal liberdade.
      Vou sem e torço para ninguém conhecido morrer ou precisar de ajuda e me ligar.
      O que fiz algumas vezes é levar um documento comigo com o número do telefone, em caso de algum imprevisto.
      Deveria fazer sempre, mas acabo deixando de lado. Se der um problema, ninguém vai saber nem meu nome.
      Não me policio. Eu uso mesmo hahaha. Celular é vida!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *