Relato – O outro lado do INDOMIT

No último sábado, dia 07 de novembro, aconteceu a segunda edição do INDOMIT Costa Esmeralda nas cidades de Bombinhas, Porto Belo e Itapema. O evento contou com provas de 5K, 12K, 21K, 50K, 80K e 100K. Postamos o relato da prova do Rafael Eduardo Butzke Quintana, que nos foi enviado pela Carla Luzia Baião. Mas não foi só esse relato que recebemos. A Carla nos enviou também o relato do ponto de vista de quem acompanha as provas do outro lado, do espectador, do apoio logístico. Segue o relato:

“A prova foco do semestre (só isso). Treino, dedicação, planejamento e lá fomos nós, os loucos que só outros loucos entendem. Eu não corro, não sou tão louca, só fico no apoio logístico. Não precisei ir ao mercado, pois não podia ajuda externa. Não precisei fazer aquela preparação toda de comida, bebida, etc e vou confessar que até senti falta disso.

Senti até meio posta de lado kkkkkkkk. Li e reli aquele bendito regulamento, pois o Eduardo Legal e o Rafael Eduardo Butzke Quintana se preparam pra correr. Acompanhei todas as postagens da organização no site e no Face. Fiquei tão tensa que senti dores de ouvido por duas semanas. Fui ao otorrino, que nada diagnosticou. Receitou um relaxante muscular e me recomendou ir ao meu dentista.

Fiz uma panorâmica para investigar e o laudo saiu na segunda, mas não tomei tomando remédio e as dores pararam. Foi só passar a prova. Que coincidência. Na sexta, véspera da prova, para não ficar hiper mal-humorada por dormir apenas duas horas antes da largada, resolvi ficar acordada. Foram só 36 horas acordada e olha que sem nenhum energético. E, paa terminar, fui motorista, vigia, amiga, mãe e esposa.

Fim de semana perfeito, exceto pelo fato do “meu indomável” não ter completado a prova. Fiquei triste, afinal era a prova foco do semestre, mas ao mesmo tempo aliviada. Só quem fica esperando esses loucos sabe a angústia que é não saber como eles estão, pois imprevistos podem acontecer, como aconteceu. Digo aliviada pq o “meu louco” é um louco muito consciente e parou quando viu que não podia mais.

A maioria das pessoas ficam admiradas qdo descobrem o tipo de prova que esses loucos fazem, mas o que elas não tem ideia é o tamanho da nossa loucura, da minha loucura, da loucura de quem fica no apoio, que incentiva e apoia essa loucura toda. Sou louca porque amo ver as pessoas felizes, louca porque amo um louco de carteirinha, porque tenho amigos loucos e porque adoro essa muvuca toda. Com certeza sou uma pessoa melhor desde que comecei a participar desse mundo louco das corridas de rua.

Parabéns aos INDOMÁVEIS Rafael, Gian Rebelo, Vera, Ana Clara, Marlene Freitas, Egomar Pro, Jacks Floripa, Simone Vieira e Mauricio Pamplona, dentre tantos que com garra e determinação superaram todas as dificuldades e completaram a prova. Parabéns mais que especial ao “MEU INDOMÁVEL” que desde o 11 km lutou contra a dor e conseguiu completar 45 km com muita bravura. Agradeço ao Eduardo Schiavo, a Carine Schneider Schiavo e ao pessoal da Educative Assessoria Esportiva pelo apoio. Voltamos com certeza no ano que vem. Abraços. Dessa louca por muvuca de corrida.”

*Tem algum relato de treino ou corrida e quer contar como foi? Envie para o Por Falar em Corrida.

1 resposta a “Relato – O outro lado do INDOMIT”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *