Geral

Recordando

Dias atrás, procurando um treino antigo no Garmin Connect, acabei chegando no registro da Meia Maratona de Florianópolis de 2015. Até deixei de lado o que estava realmente procurando para olhar de novo como tinha sido aquela prova no Garmin. Até o momento, é a corrida mais perfeita e ritmada que já fiz na vida.

Dali, fui procurar as outras meias boas do ano. Em termos de tempo, foram 4. Essa Meia de Florianópolis saiu do jeito certo. Para aquele dia, não poderia ser melhor. Em Brasília, na Golden Four, mesmo não fazendo o tempo que gostaria, olhando o Garmin percebi que o ritmo foi bom até o começo na subida e mesmo na subida.

Procurar treinos e provas antigas depois de um tempo, com certa distância, permite-nos enxergar com mais clareza como realmente foi a corrida. Às vezes, logo após correr não temos a noção exata do que aconteceu porque ou conseguimos algo muito bom ou porque foi pior do que esperávamos e não há análise que resista a alguém sem paciência de analisar.

Em Brasília, por exemplo, o meu problema foi o ritmo depois da subida. Ali foi quando o ritmo caiu e não consegui mais retornar. Já na Golden Four de São Paulo, não cheguei nem perto do tempo que esperava, mas o ritmo foi constante. Acima do que o planejado, mas constante. No fim desanimei um pouco, mas aquele tempo ficou de bom tamanho.

Na Meia de Floripa, em junho, o ritmo até foi bem regular, tirando os 3 primeiros km que usei de aqueicmento. Depois, mantive bem até as subidinhas finais. Nesta prova, o objetivo era o sub 1h45 e, se fosse o caso, sub 1h40. Pelo ritmo do Garmin, dá para perceber que não era dia de sub 1h40. O ritmo foi constante, mas naquela velocidade 1h42 era tudo o que sairia.

Relembrar corridas antigas pode ter duas consequências: você relembra que correu bem provas há pouco tempo e que com treino pode fazer de novo ou você percebe que talvez nunca mais vá fazer aquele tempo na vida. Ainda estou na primeira. Serviu de motivação olhar essas provas antigas. Este ano, a tendência é que eu me dedique de novo às meias maratonas.

Ainda estou com preguiça e meio sem vontade, mas devo montar meu calendário baseado em meias maratonas e tentar ser constante nelas. O objetivo é correr sempre abaixo de 1h45, no mínimo. Ficar regular nisso para um dia chegar perto da maratona em 3h30. Por enquanto, porém, estou correndo 30 minutos dia sim, dia não e as perspectivas ainda não são boas.

(Visited 48 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *