Enio Diário

Piranha no sábado

Como falei ontem, no sábado estreei meu novo tênis, o Piranha SP 5 da Asics, o tênis mais leve que já tive. Foi justamente esse o motivo que me levou a adquiri-lo na promoção da Black Friday da Netshoes. Estava entre ele o o Gel Hyper Speed 6, mas este não tinha mais na numeração 44. Aproveitei que o Piranha ainda tinha e comprei. Chegou na sexta e sábado já coloquei para testar na rodagem de pouco mais de 7 km.

De acordo com o site, o tênis pesa 110 gramas. Claro que o peso varia de acordo com a numeração e, com certeza, o meu Piranha 44 deve pesar um pouco mais. Não tenho o peso exato, mas comprar uma balança digital pequena de até 5 kg está nos planos. Mesmo que ele pese um pouco mais que esses 110 gramas, é muito leve. Imagina então quanto não pesava o Kayano que eu tinha. No site, diz que o peso é 309 gramas.

Na informação do peso, acredito que utilizem a mesma numeração para se basear no peso. Então, o Kayano seria quase 3 vezes mais pesado. A prova real foi segurar um em cada mão. Diferença nítida e gritante. Desde 2013 estou focando nos tênis mais leves possíveis. Uma das primeiras coisas que olho atualmente quando vou comprar é o peso. Antes, claro, consulto para ver se tem o número 44. Se não tiver, coloco na lista para futuras buscas.

Ao longo de 10 km, 21 km ou 42 km, penso que quanto mais leve o tênis, melhor. Quando estiver mais cansado e exausto, é muito bom saber que o peso que você carrega nos pés não vai te segurar tanto, quase como uma âncora. Além da parte psicológica: não há desculpa para diminuir o ritmo ou coisa do tipo porque tal tênis é muito pesado. O tênis é o mais leve possível e não é bem isso que vai atrapalhar a corrida.

Sobre o Piranha. Sendo repetitivo: muito leve. Muito mesmo. Mais leve que o Hyper Speed, meu tênis preferido e mais leve até então. Nem amaciei o tênis nem nada. Chegou na sexta à tarde e sábado de manhã já estava em teste. O treino foi tranquilo até o quase o fim. Nas últimas centenas de metros, começou a me incomodar o lado interno do pé. Parecia que tinha uma costura ou algo assim pegando. Preciso fazer mais testes para ver se acontece novamente.

Talvez correr sem meia possa ser uma experiência válida. Ou com uma meia mais fina, já que sábado fui com a meia de algodão que estava usando na sexta. Sim, eu uso qualquer meia para correr. Pego a que estiver mais fácil, seja daquelas da Track&Field ou as de algodão. De todo modo, a leveza do tênis já é um ponto positivo. Achei ele um pouco estreito na frente, mas nada que atrapalhe. Seguirei correndo com o Piranha para continuar com os testes.

(Visited 190 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

4 thoughts on “Piranha no sábado”

  1. Viu? Titulo de duplo sentido. Pegou Piranha no sábado, pra testar. Achou estreito na frente. Mas o tenis ‘e muito bonito 🙂

    1. Alguns são propositais, outros não. Título é uma das coisas mais difíceis da minha vida desde o tempo da escola.
      Pior é que quando tenho um título não tenho um texto.
      Sobre o Piranha, ele é estreito na frente, mas dá para deixar mais folgado se tirar o cadarço lá do começo.
      Ainda vou me adaptar melhor a ele quando voltar a correr.
      Vale pela leveza. Provas de 5 km já vi que é tranquilo de fazer. De 10 km ou mais ainda tenho que testar melhor.

    1. Por enquanto, só achismos. Utilizei pouco.
      Pelo material que é feito e pela leveza, acredito que dure menos que os tênis mais estruturados.
      Se usar dia sim dia não, parece que vai gastar rapidinho.
      Penso que deva ser usado só para treinos específicos, depois dos primeiros testes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *