Blog do Enio

Oportunidades alimentícias

O fim de semana e a sexta-feira passados foram dias com algumas extravagâncias alimentícias. Foram oportunidades que surgiram e não desperdice, embora talvez você melhor não ter aproveitado tanto assim. Tudo começou na sexta-feira. Resolveram fazer uma vaquinha para o almoço. Tinha que ser algo simples e fácil. O resultado: pedimos pizza.

O valor rateado deixou a pizza bem em conta e gostei também que o número de fatias por pessoas não foi tão elevado, devido aos participantes do almoço. Foram 3 fatias para cada pessoa, o que me permitiu comer menos e não exagerar, coisa que não é comum quando tem pizza envolvida.

O resultado do almoço não foi tão destrutivo. À noite, teve janta fora no aniversário da tia e, apesar de muita massa servida, consegui evitar todo aquele macarrão desnecessário e foquei na carne. Na sobremesa, um brownie com sorvete foi a coisa menos saudável que comi. Apesar de parecer que seria um dia bem complicado, até que passei ileso à sexta-feira.

No sábado não teve jeito. Era aniversário da Clarinha e havia uma oportunidade indescritível de salgadinhos, docinhos e bolo. O começo foi controlado, mas depois do primeiro salgadinho não teve jeito. Estava tão bom que fui aproveitando. A variedade era enorme. Primeiro, experimentei todos. Depois, repeti os melhores. E repeti. E repeti. Exagerei. Ainda tinha uns docinhos para completar. Comi menos docinhos, mas o estrago já estava feito. Para terminar, um pedaço de bolo. O sábado foi o que se previa: um estrago completo.

Domingo foi o passeio na Costa da Lagoa e a alimentação foi bem normal por estar fora de casa. O pior que fiz foi tomar muito refrigerante, mas não senti tanto o impacto disso. Acredito que tenha sido por tomar aos poucos e de forma intercalada. Em casa, nas raras ocasiões em que tomei, eram copos seguidos e acompanhados de pizza. No restaurante, foi acompanhado de carne e salada. Deve ter ajudado.

O resultado final na segunda-feira não foi tão ruim. As perspectivas no início de sexta eram bem piores. O projeto de peso para 2017 ainda está longe de ser atingido. Janeiro está meio perdido, mas vou tentar terminá-lo da forma menos pior. Aproveitei as oportunidades alimentícias que a vida ofereceu. Vou tentar entrar na linha novamente. Quanto mais leve, mais fácil, em teoria, para correr.

(Visited 34 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *