Geral

Olha o joelho

Quando tudo vai bem, é lógico que algo vai dar errado, quando você menos espera. Não poderia uma semana posterior ao recorde da meia maratona ser um mar de rosas. Com férias e viagem, o que poderia dar errado? Não é que deu tão errado, mas a viagem para Videira me rendeu um incômodo no joelho direito. Tenho quase certeza que foi uma pisada em falso ou algum mal jeito nas subidas e descidas do treino de rodagem de quarta-feira. Na terça, no dia da viagem, estava tudo normal. Na quarta, depois do treino, comecei a sentir um desconforto no joelho.

Foi estranho, mas no dia não dei bola, parecia ser aquelas coisas que surgem e passam. No treino intervalado de quinta, o incômodo ainda estava ali. Sentia em alguns momentos, outros não, mas não estava normal como até terça. Acredito que o treino intervalado mais a viagem dirigindo por 6 horas na volta pode ter mais atrapalhado do que ajudado. Meio óbvio, né? Na sexta, o dia de descanso fez bem. Durante a semana passada e ainda agora estou com o desconforto. Às vezes, diminui. Não é nada que me impeça de correr ou andar. Tenho feito os treinos normalmente.

Sinto mais esse incômodo quando subo escadas, mas só de vez em quando. O joelho não está 100% como esteve durante todo o ano, mas ainda está aguentando correr. Para toda e qualquer pessoa, eu diria a mesma coisa: fica em repouso um tempo e volta quando estiver sem nenhum tipo de dor. Mais vale uma semana parado do que um mês ou mais. O que estou fazendo? Não perdi um dia de treino e não pretendo perder nenhum até a Golden Four Brasília. A perda de condicionamento acredito ser mais psicológica do que física. Não são alguns dias parados que vão me fazer perder todo o lastro de treinamento desde abril.

Faça o que eu digo e não faço o que eu faço. Não é o mais prudente continuar, mas todos os treinos estão saindo no ritmo certo. Semana passada evitei os treinos intervalados. Era um pouco de receio do joelho e outro pouco das dores nas pernas por causa da fuga dos cachorros no longão de sábado. Esta semana quero fazer os treinos intervalados e ver como o joelho reage. Como depois da Golden Four vou me dar alguns dias de folga das corridas e a prova é o último objetivo de tempo do ano, vou continuar. Se der algum problema, que seja pequeno e tratável com repouso. Depois, só tem a Corrida de Angelina no dia 28/11. Aguenta só mais um pouco, joelho. Depois, é folga geral para todos.

(Visited 80 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
http://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *