Enio Diário

O número da pizza

Desde o começo do ano, venho mudando minha alimentação. Aquele post de 2014 falando das calorias e dos hambúrgueres é coisa do passado. Ele vai continuar ali. Um dia fui daquele jeito. Hoje, fast food é coisa rara e mais um monte de outras coisas que eu achava que eram boas, mas na verdade não acrescentavam nada além de um pouco de peso. São boas, reconheço, mas não dá para viver disso com frequência. Nessa mudança, vários pratos e alimentos comuns no meu dia a dia ficaram raros, alguns quase inexistem mais. Era comum, por exemplo, comer uma pizza por semana, daquelas congeladas que vendem em supermercados.

Parei com elas, mas vez ou outra ainda comprava essas de tele-entrega. Só que ainda não satisfeito com o número da balança, embora mais magro (senti a diferença muito mais no espelho e nas roupas do que na balança, mas é assunto para outro post), decidi não mais comer pizza até que alcançasse determinado número. Pois bem. Sempre me peso na mesma balança ao acordar, depois de ir ao banheiro. Método que me garante um mínimo padrão. A meta adotada foi de no dia que acordasse finalmente com a balança mostrando qualquer número abaixo de 76 kg, poderia pedir uma pizza, daquelas gigantes, sabores bacon, queijo e calabresa, de preferência, e ainda com borda de catupiry.

Foram dois meses em busca desse número, mas muito mais por mim do que pela pizza. Até que o dia chegou. 75,7 kg em 11/09. Não pedi a pizza ainda, mas alcancei o objetivo proposto. Continuei com essa meta para ver se me mantinha com este peso por mais tempo. O problema disso tudo é que desde então não pedi nenhuma pizza, mas já foram 6 dias acordando sub 76 kg. O objetivo inicial ficou muito fácil de atingir. Se levar o que me propus de forma rígida, teria 6 pizzas em a ver para pedir e comer. Depois de mais um dia acordando na casa dos 75 kg, parei com isso. O objetivo foi alcançado e já sei que consigo e de que forma. Ainda pretendo pedir a pizza, uma só, mas não sei quando.

(Visited 158 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

9 thoughts on “O número da pizza”

  1. Bom dia Enio! Massa! Isso ae continue com o foco!
    Eu pesava 104, comecei com objetivo de 85, não satisfeito, cheguei nos 77. Achei que estava tudo bem, voltei a satisfazer os prazeres da comida, hj estou com 81?
    Mas vamos que vamos! Voltar o foco e não comer pizza!

    1. Esse é o problema. Quando a gente acha que está bem e exagera de novo. Vez em quando pode. Sempre é que complica. Vamos focar!

    1. O que me ajudou também foi a fatura do cartão não ter fechado. Meu objetivo é ficar entre 74 e 76 enquanto der.

  2. Muito Bom seu post! Eu nao sou a melhor pra falar disso, porque nao sou a mais regrada, mas sempre tento me policiar. Cortei o alcool ha alguns meses (totalmente) e me sinto muito melhor. Melhorei minha dieta, mas o chocolate ainda ‘e meu ponto fraco. Nao sei o que ‘e pizza (as vezes faco aquelas caseiras com massa integral, pouco queijo e champignon), mas esqueci o que ‘e pedir pizza pelo telefone. As vezes como um hamburger, mas nao faco isso mais de uma vez por semana. E quando faco ‘e hambuguer simples, sem queijo, pouquissimo ketchup (so o cheiro). E agua pra acompanhar. Nao tomo refrigerante ha quase um ano, e tudo acompanho com agua. ‘E estranho mas depois vc acostuma. A corrida me trouxe muitas coisas boas, entre elas a importancia da alimentacao 🙂 E sem nutricionista nada! So ouvi meu corpo 🙂

    1. Cortar álcool e refrigerante já dá muita diferença. E realmente acostuma. Quando tomo refrigerante, fico algumas horas arrotando hahaha.
      Hambúrguer bom é o sem pão. Aí fica perfeito.
      Já fiz uma pizza com massa de couve-flor. Melhor que essas massas integrais.
      Acredito que nutricionista não é tão necessário na maioria dos casos. Também estou só me ouvindo e me testando. Tem dado certo.

    1. Aí está. Não tudo que você quer. Do contrário, o Titinho viraria uma bolinha novamente.
      O importante é ser feliz. Sem exageros, para não morrer disso. 😀
      Muito honra um comentário do meu pupilo recordista mundial. \o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *