O dia que faz correr

É muito comum termos dias nos quais estamos cansados e sem vontade nenhuma de correr. Ontem era um desses dias. As pernas cansadas, ansiando pelo day off e procurando vontade para correr. Pela disposição, nem sairia de casa. Almoçaria e dormiria. Mas algo me fez mudar de ideia, colocar o tênis e sair do conforto do lar.

Depois de uma terça-feira com um pouco de chuva, tempo nublado e feio, a quarta nos brindou com um dia muito bonito. Desde logo cedo, o sol apareceu, sozinho, sem a companhia do vento. Com o passar da manhã, o dia continuou assim, sem aparentar que iria mudar, bem estável. Já que o dia não mudava, fui mudando meus planos.

Quarta é dia de correr. Não estava muito disposto, mas não é sempre que se tem um dia assim. Reclama de correr com chuva, frio e vento e quando tem sol não sai? Era muita vagabundagem ficar em casa. Cansado sim, com preguiça também, mas com vergonha na cara, lá fui eu. Corri pouco mais de uma hora como previsto, começando devagar e depois aumentando naturalmente o ritmo, até meio sem querer. Nem ficou um treino tão ruim. A partir do 5º km, o ritmo se manteve dentro do normal.

Só saí para correr ontem por causa do dia, do sol, da ausência da chuva e do frio. Tinha um pouco de vento, mas vento sempre vai ter na Beira Mar depois do meio-dia. Não era nenhum vendaval. Foi bem tranquilo. Não fui por causa da Golden Four em novembro, da planilha ou de qualquer outra coisa. Corri, como falei, por causa do dia. Estava muito bonito e agradável para não correr. Se não aproveitar os dias bons quando eles aparecem, como reclamar dos ruins? Nem day off era. Valeu a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *