Muito mais de 600

Foto ilustrativa de janeiro/2015 dos tênis (e chinelo e almofada do Grêmio) até a data

Na sexta, o Mauricio escreveu sobre o tênis favorito dele e sobre a quilometragem. Realmente, muito é divulgado em todas os lugares pelas marcas que depois de 600 km deve-se trocar o tênis devido a desgastes e coisa do tipo. Particularmente, acredito ser uma tremenda bobagem limitar o uso de tênis a tantos quilômetros, seja qual for o número. O Mauricio está aí para provar que um tênis pode rodar mais de 1.000 km sem causar problemas do corredor.

Comigo não é diferente. Tenho tênis que uso desde 2012. Mais de três anos com o DS Racer 9 Azul, por exemplo, e com certeza já passei fácil dos 600 km. E ele continua aqui, firme e forte, sendo usado nas rodagens e treinos intervalados. Parece-me que essa recomendação nada mais é do que interesse financeiro. Afinal, se você faz como eu, por exemplo, vai usar um tênis até ele rasgar e vai utilizr mesmo com furos.

Se você não troca de tênis, significa que você não compra novos tênis. Logo, sem venda para as marcas de tênis. Comecei a contar a quilometragem dos tênis só no fim de 2014 e este ano todo. No post que fiz, os tênis de uso mais constante passaram todos de 200 km. Alguns ali já estão comigo desde 2012 ou 2013. Certamente, já passaram do limite de quilometragem que está por aí nos sites com dicas sobre tênis.

Talvez, se a pessoa utilizar sempre o mesmo tênis ou tiver só dois pares à disposição, sinta a necessidade de trocar mais rápido de tênis e adquirir novos pares. Recentemente, doei 5 pares de tênis porque eram dos mais antigos e pesados, do tipo que não uso mais. Todos em bom estado, apesar de um ou outro ter alguns rasgados e tal. É muito difícil eu jogar fora um tênis. Dos atuais, todos parecem em bom estado e tenho quase certeza que estarão comigo em 2016.

6 respostas a “Muito mais de 600”

  1. Recentemente aposentei um 890v3 da New Balance por ter ultrapassado 800km nele. Acompanho a quilometragem de cada par usando o Strava. Acho que 800km é um bom número pra começar a prestar atenção no tênis e em como eu me sinto depois de cada corrida. Conheço gente que corre milhares de quilômetros com cada par, mas não tenho essa coragem. Tenho medo de acabar me lesionando por causa de tênis velho. Por outro lado, já me lesionei muito com tênis em perfeitas condições. Talvez seja o caso de fazer um experimento…

    1. Ah, eu não tenho coragem de me desfazer de um tênis só pela quilometragem. Até rasgado dá para fazer bom uso do tênis.
      Claro que os mais novos tendem a ser meus preferidos, mas tem uns antigos muito bons para serem desprezados.
      Acho que vale a pena ficar com o tênis até furar o dedão haha.

  2. Na minha opinião, a Quilometragem varia de acordo com cada marca. Outro ponto que devemos levar em conta é as condições em que você utiliza (no asfalto quente no verão por exemplo) e o seu peso. Eu tenho dois Adidas do mesmo modelo o primeiro quando comprei estava 17 kg mais pesado de que comprei o segundo, hoje os dois estão com a mesma quilometragem (950km), mas o primeiro está muito mais desgastado e deformado que os segundo. Mas a média de 600km é muito pouca para a vida útil de um tenis.

    1. O desgaste vai acontecer. Dependendo do peso, a tendência é mais, mas acredito que não seja o caso de trocar.
      600 km é jogado muito para baixo. Só que o pessoal tem que vender, né? Entendo o lado deles.
      O do Mauricio já passou de 1.000, alguns meus passaram de 600 e o seu vai chegar nos 1.000 km.
      Só vamos trocar se furar no dedão. 😀

  3. Acho que já viu a quilometragem do meu Adidas Supernova na Kayano minha postagem no Instagram , tem mais de 1400k e é o tênis que me sinto mais confortável correndo e esta inteiro, sem furos ou rasgos, continuo usando apesar da insistência de meu treinador em aposenta-lo.

    1. Lembro desta foto. Acredito que se você se sente bem e o tênis também está em bom estado, não tem por que trocar.
      O treinador insiste mas quem utiliza é você, né? Se está tudo bem, continua com o Adidas. 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *