Relatos de Corridas

Maratona de Santa Catarina – 16/08/2015

Maratona Internacional Caixa de Santa Catarina
16/08/2015
Florianópolis – SC – Brasil
42 km / 10 km / 5 km

Resultados

Valor da Inscrição
R$ 95,00 – 42 km
R$ 80,00 – 5 e 10 km

Retirada do kit
Aconteceu sexta e sábado na loja da Track&Field do Shopping Iguatemi. Retirada bem tranquila. No local, nada alusivo ao evento. Nenhuma lembrança ou recordação para quem quisesse comprar algo.

Kit
Kit composto por número de peito, camiseta bonita com tecido bom, uma viseira e um squeeze, além de cupons de desconto para a loja da Track&Field e Outback. Para quem estava inscrito na maratona, veio uma toalha também. Tudo isso dentro de uma sacola grande e que pode ser útil. Chip retornável, como acontece nas provas da Latin Sports. Os corredores deveriam pegá-lo no dia da prova nos horários divulgados previamente.

Largada
A largada foi na Avenida Beira Mar Norte, em frente ao Trapiche. A elite elite feminina largou às 6h50 e a elite masculina e geral da maratona largou às 7h. Os participantes das provas de 5 e 10 km largaram às 8h30. Apesar de ser inverno, estava bem quente. A largada da maratona nesse horário ajudou os atletas. Se fosse ainda mais cedo, seria melhor. Para quem correu 5 e 10 km, a largada às 8h30 foi um pouco tarde. Poderia ter sido às 8h, para que os corredores não enfrentassem tanto calor. Nos anos anteriores, a largada e concentração era na Passarela do Samba. Dos relatos que ouvimos e do que presenciamos, esse novo local no Trapiche foi melhor para os atletas.

Percurso
O percurso da maratona seguia pela Beira Mar, sentido norte, até chegar na UFSC e retornava. Os atletas passavam ao lado do portal da prova. Neste momento, a prova já estava no seu 14º km. Dali, eles seguiam até o Trevo da Seta, sentido sul, e passavam pela Passarela do Samba, pelo túnel e pela Via Expressa Sul. Depois do túnel, é a parte mais deserta da prova. Só a estrada e os corredores. Bem monótono. No Trevo da Seta, os atletas faziam o retorno e seguiam novamente para a Beira Mar. Ali, por volta do km 32, passavam novamente ao lado do portal de chegada e seguiam rumo ao último retorno, no elevado do CIC.

Os percursos de 5 e 10 km foram todos pela Beira Mar. Para quem correu 5 km, eram 2,5 km na ida e 2,5 km na volta. Para os que correram 10 km, eram 5 km de ida e 5 km de volta. O que geralmente é feito nas provas na Beira Mar é um circuito, onde quem faz os 10 km dá duas voltas. Por vezes, fica chata dar duas voltas no mesmo lugar. Isso não aconteceu na maratona e foi um ponto positivo. Sabia-se que era só ir metade da distância e voltar, sem repetições.

Como mencionado antes, o local da largada e concentração foi alterado. Com isso, o percurso também. Nos anos anteriores, os atletas saíam da Passarela do Samba e iam duas vezes para a Via Expressa Sul. Os participantes dos 5 e 10 km também saíam em direção ao Sul da Ilha. Esta mudança de local deixou o percurso menos monótono.

Hidratação
Hidratação muito boa, a cada três quilômetros. Às vezes, menos, dependendo dos retornos. Tinha bastante água gelada e isotônico. Estava bem quente para a época do ano e a hidratação não deixou a desejar. Havia também um ponto com distribuição de Coca para os atletas.

Distância
Na maratona, alguns GPS marcaram a mais (o que consideramos normal), outros a menos. Como a prova passa por um túnel, o GPS se perde e talvez isso possa ter influenciado nas marcações a menos. Enfim, não sabemos. O que temos certeza é que nos 10 km não havia 10 km. Consultamos mais de 10 GPS e todos marcaram entre 9,90 km e 9,97 km. Dar pouca coisa a menos ainda assim é dar menos. Possivelmente, o retorno estava um pouco a frente de onde deveria.

Pós-prova
Os corredores que chegavam eram encaminhados por um caminho onde retiravam o chip e pegavam sua medalha, água, isotônico e frutas.

Medalha
A medalha é bonita, com fita personalizada com o nome da prova, mas era a mesma para todos os corredores. Tanto para quem fez 42 km quanto para quem fez 5 km e 10 km. Até o tamanho era igual. Em anos anteriores, o tamanho da medalha da maratona em um pouco maior. Na medalha, tem o ano da prova, mas não tem a data.

Concluintes
Total: 1.356 – 889 homens (66%) – 467 mulheres (34%)
42 km: 372 – 321 homens – 51 mulheres
10 km: 548 – 353 homens – 195 mulheres
5 km: 436 – 215 homens – 221 mulheres

Comentários finais
A Maratona de Santa Catarina é organizada pela Latin Sports desde 2011. Em comparação com o ano passado, o número total de concluintes aumentou. Na maratona diminuiu, mas nos 5 e 10 km aumentou, com as mulheres sendo maioria nos 5 km. A prova poderia ter mais divulgação. Muitas pessoas nem sabiam da maratona e as poucas que sabiam não imaginam que a prova era bem organizada e estruturada. Para o ano que vem, se houver uma divulgação maior, talvez haja mais participantes.

Um dos problemas para não ter tantos concluintes foi que a maratona só foi confirmada de fato, com inscrições abertas, em junho, dois meses antes da prova. O ideal seria já ter a data programada e divulgada com bastante antecedência. Assim, quem treina para uma maratona teria mais tempo para se planejar. Geralmente, quem faz uma maratona não treina apenas dois meses antes da prova. Apesar dos entraves e burocracia que devem existir, seria interessante tentar a divulgação e confirmação da data com maior antecedência.

A mudança do local da largada e arena do evento foi muito positiva. Ir duas vezes para o norte foi muito melhor para os atletas. A parte da Via Expressa Sul é muito deserta e chata. Concentrar na Beira Mar faz os corredores terem maior contato com o público. Não é uma multidão, mas é muito mais do que teve nos anos anteriores na Via Expressa Sul. Com o evento sendo no Trapiche da Beira Mar, cada vez que os atletas passavam ao lado do portal, além da chegada da prova, era uma festa com o apoio do publico que ali estava concentrado. Até para quem é de fora ficou melhor. Os hotéis ficam no Centro da cidade e o deslocamento ficou mais fácil.

O que pode ser pensado em melhorar é na retirada do kit. Fazer uma feira, ainda que seja pequena, com alguma recordação da prova. Os participantes, assim, poderiam comprar recordações do evento. Florianópolis, por si só, tem muitos atrativos naturais. Se a maratona tiver uma antecedência de data e uma feira mais atrativa, talvez consiga atrair mais participantes. Para quem corre, ter uma prova já é um bom motivo para viajar e participar da corrida. Com atrações paralelas, os corredores e seus acompanhantes teriam mais opções e poderiam ficar ainda mais satisfeitos.

Domingo não foi um dia muito cordial com os corredores. Estava muito quente. Um dia de verão no inverno. Para quem estava a passeio, foi um lindo dia de sol. O evento é muito bom e organizado. O que pode ser melhorado é mais a parte em torno da corrida. As provas não apresentam falhas. Vale a experiência. Recomendamos.

*Participou da prova? Concordou com a análise? Discordou? Quer acrescentar alguma coisa? Entre em contato ou deixe sua opinião nos comentários.

Onde encontrar o Por Falar em Corrida:

Escute o Por Falar em Corrida:

(Visited 102 times, 1 visits today)
Por Falar em Correr
Podcast sobre corridas de rua.
http://porfalaremcorrer.com

3 thoughts on “Maratona de Santa Catarina – 16/08/2015

  1. Ótima análise, não acrescentaria nada. Se o calendário permitir, volto o ano que vem, agora com toda família e sem “queimar a largada”! ahahaha

  2. Muito bom Enio! Tenho uma opinião sobre maratona! Acho desgastante por demais e e enfatizo que deve ser dito a todos que são 42 kms! Muitos vão na onda! Sugiro também que exista uma prova de 21km onde todos possam fazer a transicão de quilometragem!
    Concordo em gênero, número e grau contigo quando sugere pela largada antecipada! Quem é maratonista pode e deve largar até 6 horas da manhã! Todos ganham! atletas, trânsito!
    Parabéns por esse canal de comunicação!

  3. Ótima análise, porém acho que a largada da maratona poderia ter sido mais cedo, já que a previsão era de bastante calor, meia hora antes já ia ajudar muito… Às 9h o sol já estava muito forte, pra quem treinou em Floripa mesmo estava um dia atípico, estava muito fora da média das semanas anteriores e o corpo sentiu. Mas o percurso ficou bem melhor esse ano. A medalha poderia ser diferenciada, ou ao menos a camiseta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *