Enio Diário

Longo de sábado

Foi o penúltimo treino longo antes da Golden Four Brasília. Agora só falta um, de ritmo. Este que fiz sábado foi de 18 km, em ritmo constante, o chamado ritmo firme. O objetivo era fazer média abaixo de 5:20 min/km e tentar manter todas as parciais de quilômetros menores que este ritmo. Decidi que já ia começar o treino mais rápido. Usaria os quilômetros iniciais para aquecer, mas de forma mais acelerada. Em vez dos tradicionais 6 min/km ou mais, comecei com 5:43 (a parcial mais lenta do longão), 5:25  (a segunda parcial mais lenta) e, a partir do 3º km, encaixei o ritmo que gostaria.

Como sempre tento fazer nas rodagens e treinos longos, fui na sensação de esforço, sem ficar controlando o ritmo durante o quilômetro. Só olhava o Garmin quando ele apitava a cada quilômetro e daí tinha ideia de como estava o ritmo. Curiosamente, no 5º km, estava me sentindo um pouco mais cansado, nada absurdo, mas tinha a sensação de estar fazendo mais força. O Garmin apitou e ali estava a resposta: 4:57 min/km. Era mais rápido do que deveria, mas naquele momento era o que o corpo queria fazer. O seguinte voltei ao normal e fiz em 5:05 min/km.

Desta vez, em vez de ir para o Parque de Coqueiros, decidi ir para o outro lado, até a Ponta de Baixo, bairro de São José, passando pela Praia Comprida e retornando. Este percurso tem várias subidas e descidas, umas maiores, outras menores, mas todas que quebram o ritmo do plano. Era isso que estava buscando, pensando tanto na Golden Four Brasília quanto nos treinos de força. Quero habituar as pernas a se acostumarem com as subidas e deixá-las mais fortes e resistentes. Pode não ajudar muito, mas é melhor do que fazer 18 km no plano.

Voltando cada vez mais à rotina, na sexta voltei a fazer as dez repetições subindo os 12 andares de escada do prédio. A pior parte deste fim de semana foi a noite de sexta para sábado. Ainda na sexta, por aquelas cagadas da vida, dormi à tarde e perdi completamente o sono à noite. Até deitei cedo, mas fiquei rolando de um lado para o outro e o sono não vinha. Quando veio, dormi mal, acordei durante a noite e só pensava que ia ser sofrido acordar às 6 horas no sábado. Não deu outra. O despertador tocou e eu fui rápido para desligar, mas lento para sair da cama.

Com meia hora de atraso, fui cumprir a rotina pré-longão. O treino começou às 7h. Pretendia ter iniciado às 6h30, quando o sol estaria nascendo. Apesar da chuva durante a semana, o fim de semana tinha previsão de sol. Não era nem 7h30 e lá estava ele fazendo o treino junto comigo, esquentando e dificultando. Ainda tinha um vento chato, mas que não atrapalhou no desenvolvimento do ritmo. Depois dos dois quilômetros iniciais, só o 12º km saiu acima de 5:20 min/km. Era uma subida mais constante. De resto, tudo de 5:20 para baixo. Gostei do resultado final, mas poderia ter sido melhor. Faltam menos de duas semanas para a Golden Four Brasília e para as férias da corrida.

(Visited 38 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *