Blog do Enio

Força na subida

A intenção da sexta era fazer um treino intervalado em subida. Há tempos queria fazer este treino e sempre adiava ou colocava outro treino no lugar. Sei que não deve ter muitos efeitos práticos para a meia maratona em Brasília, mas talvez a longo prazo pode surtir algum efeito. Claro que preciso continuar inserindo estes treinos no meu dia a dia. Acredito que depois das duas meias vou conseguir fazer com mais regularidade.

Depois de todo treino, sempre subo os 192 degraus do prédio. Com esses dois exercícios de subida, devo conseguir algum benefício. Assim espero. Hoje saiu o treino nas subidas. São duas dificuldades maiores para executar o treino. A primeira é ter vontade de ir até um morro e ficar subindo ele várias vezes. A segunda é encontrar uma subida. Não é nada de outro mundo esses dois empecilhos, mas para quem não quer muito, qualquer coisa serve.

Mesmo assim, fiz o treino. Saí da Beira Mar, fui para os lados de Florianópolis e encontrei uma subida legal. Até chegar lá foram quase 26 minutos, um bom aquecimento em ritmo lento. Chegando no local, analisei os pontos de referência e defini como ponto de partida uma placa de lombada, ainda no plano, e como ponto de chegada uma placa de proibido estacionar, quase no topo da subida.

A primeira metade era mais tranquila, podia acelerar mais e não sentia os efeitos de fazer força. A metade final complicava um pouco mais. A subida ficava mais íngreme e sentia mais as pernas. Fiz 11 repetições, sendo que os intervalos eram a caminhada na descida. Em média, a subida ficava em 40 segundos e a descida em torno de 1 minuto e 30 segundos. Não sei se o ritmo foi bom, mas gostei que o tempo ficou parecido em cada série. Pelo Garmin, cada uma dessas subidas deu uma distância de 110 metros, aproximadamente.

Se do ritmo não sei, das pernas pude sentir bem. Nos últimos intervalados já estava sentindo bastante o cansaço na parte mais inclinada da subida. Todo esse treino teve como espectadores inesperados um pessoal que estava trabalhando na obra de uma casa da rua. Eles devem ter achado meio estranho um doido subir correndo o morro e descer andando. Várias e várias vezes. Acho que foram quase 25 minutos nessa função.

Depois, voltei para casa pelo mesmo caminho e aí foram mais 3 km e pouquinho. Esses 3 últimos quilômetros optei por correr mais forte. Não aquele forte de um treino intervalado, mas não quis ficar no conforto de trotar só porque tinha acabado de fazer o treino em subida. Coloquei como meta fazer todas as parciais abaixo de 6 min/km. Não foi tão difícil, mas ficou no limite. Saiu 5:58, 5:59 e 5:51. Amanhã devo fazer uma rodagem leve e domingo tentar colocar em prática o último longão, de preferência ritmado como o de quarta ou melhor.

(Visited 56 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *