Geral

Desvirtualizando por aí

Comprei minha passagem para Brasília na promoção. Consegui um voo saindo sexta à noite e chegando domingo à noite. Envolvido com família, amigos, passeios e corridas em Brasília, não deu para deixar nada já escrito no blog. Sobre a prova, falo amanhã. Preciso de tempo para organizar as coisas e escrever as besteiras de forma mais simplificada. Hoje vou focar em viajar, amigos, conhecer pessoas e correr.

Viajar e correr é muito legal. Fazer recorde pessoal é melhor ainda. De toda a parte da viagem, talvez a única que eu prefira estar sozinho é no momento da corrida, que é quando gosto de me concentrar do meu jeito. Fora isso, todo o resto é legal fazer com amigos e familiares. Em Brasília foi assim. Fui muito bem recebido e hospedado pela minha tia. Quando fui em 2013, cheguei no sábado e não consegui fazer praticamente nada.

Desta vez, já na sexta à noite, vindo do aeroporto paramos em um lugar que não sei onde é e compramos churrasquinhos. De coração e alcatra. Estava MUITO bom. No sábado pela manhã, fui conhecer e trotar no Parque da Cidade. Lá encontrei meu primo, seus filhos e esposa. Fomos almoçar em um restaurante bem bom. Na parte da tarde, expo da Golden Four para retirar o kit. Por lá, encontrei o Eduardo Hanada e a Sabine Weiler, daqui de Floripa.

Eu, minha tia e o Eduardo e a Sabine, depois do kit, fomos conhecer alguns locais de Brasília. Fomos no Pontão Lago Sul, depois passamos na Ponte JK, pelo congresso e fomos jantar em um lugar com preço bem acessível e comida muito boa. No domingo, teve a Golden Four. Como sempre, uma ótima experiência e bem organizada. De lá, fomos almoçar no Parque da Cidade e depois na Torre de TV de Brasília. Ainda passamos na Catedral.

Com o tempo disponível que tínhamos, acredito que fui em muitos lugares. Os que todo turista vai. E não foi só isso. Ainda teve as coisas legais que o podcast proporciona. Primeiro, na expo, fui encontrado pelo Anderson Lattuada. Conversei com ele a esposa, que iria fazer a estreia na meia maratona. Ele fez a Maratona de Buenos Aires no dia 11 de outubro. Falo fui encontrado porque o podcast faz o pessoal nos conhecer e identificar. É algo estranho e que não consigo me acostumar.

Continuando, no domingo de manhã fui de carona com o Danilo Confessor, amigo há tempos e ouvinte de longa data do podcast, para o local da largada, na Praça do Buriti. No meio da corrida, lá pelo quilômetro 5, a Drika Runner passou por mim e perguntou se eu era o Enio do Por Falar em Corrida. Conversamos rapidinho e cada um seguiu sua prova. Depois da chegada, o Anderson Silva, comentarista assíduo do blog e ouvinte, conseguiu me encontrar.

Estar com a camiseta do Por Falar em Corrida ajuda bastante, acredito. Conversamos bastante. Mais um ouvinte do podcast que conheci pessoalmente. Foi bem legal. Logo em seguida, fui convidado pelo Erick Madeira a passar na tenda do grupo Hiperatividade Runners. Fui muito bem recebido pelo pessoal. O Erick me convidou para ficar por lá e comer o churrasco que o grupo ia fazer, mas ainda tinha outros compromissos e não pude ficar.

Por fim, já à tarde, tirando fotos no mirante da Torre de TV, fui abordado pelo André. Vejam vocês. Do nada, a 75 metros de altura, em um espaço mínimo, mais um ouvinte do podcast. Sim, eu estava com a camiseta do podcast. Basicamente, usei a camiseta sábado na expo, domingo na corrida e depois. Tem que divulgar. O André também falou que ouve e gosta bastante do podcast. Em Brasília, comprovei o que acabara de falar na corrida com o Anderson Silva.

Nós não temos a mínima noção do alcance e de quem escuta o podcast. Só posso agradecer. Nunca imaginei nada do tipo acontecendo. Muito obrigado, Anderson Lattuada, Danilo Confessor, Drika Runner, Anderson Silva, Erick Madeira e André. É muito legal saber que o podcast me proporcionou conhecer e conversar com novas pessoas. Claro que o maior obrigado de todos vai para minha tia Julse, que foi quem nos levou para os pontos turísticos. Não posso deixar de citar também o Eduardo e Sabine, que estiveram conosco nos passeios.

Viajar, correr, conhecer novas pessoas, conversar, descobrir que ouvem o podcast, conhecer novos lugares e fazer turismo. É como vi na internet certa feita e escrevi no meu Facebook. Não guarde rancor. Guarde dinheiro para viajar. É muito melhor e faz bem. O dia que eu ganhar na loteria vai ser o começo de viagens toda semana. Um dia improvável e que talvez não chegue nunca. Portanto, seguimos a vida normal, juntando a mascada, para ter condições de viajar e correr novamente.

Quem diria que um texto escrito às pressas na segunda de manhã ia ficar tão grande?

(Visited 145 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

2 thoughts on “Desvirtualizando por aí

  1. Enio,
    A corrida foi excelente, até mesmo para o pessoal daqui de Brasília que está acostumado a correr “de uma forma ou de outro” em trechos desse percurso.
    Foi um prazer conhecer você, representante oficial de todos aí do PFC !!! Tenham certeza que os ouvintes estão sempre presentes !! Logo depois da maratona de NY-2015, ouvi o podcast da NY-2014 (foi emocionante relembrar a vitória do Kipsang).
    valeu demais.
    agora é trabalhar para novos e bons momentos aconteçam novamente.

    até no próximo PFC-ao vivo !!!

    abraços a todos.

    relembro que a Wings for Life está confirmada para 2016 aqui em Brasília e com as inscrições já abertas (é a hora dos outros integrantes do grupo correr na capital, rsrsrsrs)

    até

    1. Um grande evento faz com que as coisas ficam melhores, até mesmo onde a gente sempre corre.
      O prazer foi meu. Muito legal.
      Vamos ver o que conseguimos fazer na Wings. Está sob análise. 😀
      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *