Blog do Enio

Ao vento

Segunda-feira, chuva, vento sul, frio, 14ºC na melhor das hipóteses, depois das 17h. Essa era a situação do início do treino de ontem. A planilha dizia 45 minutos de bike. Fui adiando durante a tarde esperando a chuva passar, já que essa era a previsão.

Felizmente, foi uma previsão acertada e a chuva parou. Só que o vento e o frio continuaram, além das ruas molhadas. Coloquei três camisetas mais uma bandana no pescoço e fui. Da janela de casa podia sentir o que me esperava, mas foi só ao sair na rua que confirmei.

Assim que a bicicleta ficou ao ar livre pude perceber que talvez não devesse ter saído. Era muito vento, de todos os lados, quase não tinha direção para pedalar sem ser com vento contra. Porém, a planilha pediu e eu fui. Fiz algumas adaptações por causa do clima.

Em vez de 45 minutos de bike, fiz só 31 para garantir o combo do Heartbit. Não consegui pedalar forte em quase nenhum momento. Foram raras as situações nas quais tinha o vento me empurrando. A Beira Mar estava impraticável e só dei uma volta pequena lá.

Decidi sair pelas ruas da cidade, tentando escolher onde tinha menos carro. No geral, foi um treino bem leve. São nesses treinos que às vezes a gente se sente melhor só de ter saído de casa. E também se sente um idiota. Por que sair nesse tempo ruim? O depois é sempre bom, mas não me tirou a sensação de que poderia ter ficado em casa. Pensei em adiar o treino para o dia seguinte, mas optei por sair no vento mesmo.

Queria ver qual era o tamanho do estrago pedalando em situação tão desfavorável. Teve instantes em que parecia que estava em uma esteira natural de bicicleta. Pedalava, fazia força e quase não saía do lugar. Menos mal que o treino de ontem não era nada com acelerações, mais uma rodagem alternando marchas. O vento fez o papel de marcha leve e pesada, uns 90% do tempo pesada. A previsão do tempo não é animadora para os próximos dias, mas não tendo vento e chovendo menos já me ajuda.

(Visited 20 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
http://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *