Geral

A transmissão

Ontem falei da minha corrida em Angelina. Hoje é dia de falar da transmissão ao vivo, tão anunciada e divulgada desde muitos meses antes da prova. Em 2014 foi a nossa primeira experiência fazendo uma transmissão de prova. Foram mais de 5 horas. Em 2015, repetimos a dose. Com base no ano passado, pensamos, corrigimos e melhoramos alguns pontos. Por outro lado, alguns outros problemas e contratempos apareceram. Alguns conseguimos resolver na hora, outros vão ficar só para o ano que vem. Entre mortos e feridos, salvaram-se todos.

O mais legal de tudo é que Angelina mal e mal pega sinal de celular, quando pega. Via Casa da Informática, foram disponibilizadas duas redes wi-fi abertas, sem senha, para os corredores. No começo funcionou perfeitamente. Quanto mais pessoas chegavam na praça e utilizavam a internet, mais devagar ficava a conexão. No notebook principal, conectamos um cabo de rede e não utilizávamos a wi-fi. Isso nos garantiu uma estabilidade quase completa na imagem e no som. Entretanto, as câmeras móveis ficaram impossíveis de serem utilizadas depois que o limite da wi-fi foi atingido.

Para nós, que estávamos fazendo a transmissão, o barulho era enorme. Havia duas caixas de som perto de nós e não conseguíamos nos ouvir. Eu não conseguia me ouvir muitas vezes. Voltei para casa com dor de cabeça. No entanto, o pessoal que acompanhou de casa, via YouTube, não notou nada disso. O que foi muito bom. Sinal de que o microfone que o nosso amigo Josué emprestou é bom mesmo. Não deixava nenhum som exterior entrar e atrapalhar a transmissão. O som no YouTube estava perfeito, totalmente o oposto do que nós vivíamos lá.

É uma sensação muito estranha falar, falar, falar e não se ouvir. Não ouvir a pessoa que está ali, a centímetros. O importante, porém, era a transmissão e ela ficou bem boa. Tivemos problemas com o microfone e o receptor. As pilhas acabaram em quatro oportunidades e tivemos que trocá-las. Como estávamos com basicamente uma câmera e um notebook com conexão estável e funcionando, concentramos tudo nele e em alguns momentos demoramos para perceber as mensagens do pessoal do YouTube dizendo que o som tinha caído.

Neste ano, conseguimos um banner de fundo para evitar aquele monte de gente passando atrás da transmissão. Entrevistamos dezenas de pessoas, mostramos várias imagens. Podíamos ter feito mais e melhor, mas realizamos mais uma transmissão ao vivo da corrida mais legal de Santa Catarina. Recomendo muito que todos assistam as mais de cinco horas que ficamos no ar. Duvido alguém que consiga assistir tudo de uma vez só. Ou alguém que assista tudo. Há bons momentos na transmissão. Nós gostamos muito de fazer. Em 2016, se tudo der certo, voltamos e tentamos fazer ainda melhor.

Assista à transmissão ao vivo na nossa página especial: https://porfalaremcorrida.com/angelina2015/.

(Visited 48 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *