Geral

A minha pizza

falei anteriormente que tinha me comprometido a pedir uma pizza só quando atingisse determinado número na balança. Esse dia com esse número chegou, mas ainda não pedi a tal da pizza. Foi muito melhor do que isso: fiz minha própria pizza em casa. Ainda vou pedir uma pizza no tele-entrega, mas só depois da Golden Four Brasília. Vai ser só de olho grande e gordice porque essa que fiz ficou tão boa quanto. É uma ótima opção E o melhor: não tem farinha de trigo. Ou seja, muito mais saudável e nutritiva. A massa da pizza foi feita usando couve-flor.

Como mudei minha alimentação e tentei diminuir ao máximo o consumo de açúcar e farinha de trigo e outras farinhas com alto índice da carboidrato, fui procurar uma pizza que não tivesse farinha de trigo. Não podia toda vez que fosse comer pizza ter que pedir aquelas cheias de trigo e carboidratos. Solução? Google. Lá encontrei o que precisava e nem foi tão difícil ou complexo assim. Tanto é que já fiz duas vezes. A primeira pizza foi um projeto piloto. Ficou boa, mas não tão consistente. Na segunda, acertei mais e a massa já ficou melhor.

A receita encontrei no Gordelícias. Fazer a massa é relativamente simples. É necessário basicamente uma couve-flor, um ovo e queijo muçarela. Sal, orégano e pimenta varia do gosto da pessoa. Depois de feita, é só esquentar no forno, rechear como quiser e colocar novamente no forno. Na última que fiz, esta da foto, utilizei molho de tomate em cima da massa, depois requeijão e mais queijo. Por cima disso tudo, coloquei tomate, brócolis, pepperoni e bacon. Os últimos três itens pré-aqueci e e deixei tostar um pouco para não colocar cru no forno.

Queria fazer uma pizza com vários sabores, mas foi um equívoco utilizar bacon e pepperoni. Como coloquei sal na massa de couve-flor, essa parte ficou um tanto salgada. Já a parte de brócolis e tomate ficou muito boa. A foto abaixo mostra o resultado final Infelizmente, só lembrei de tirar a foto dela pronto depois de já ter comido um pedaço. A terceira pizza de couve-flor está para sair e será aprimorada. Para estes casos, é muito melhor utilizar queijo fatiado e não colocar sal na massa se for utilizar bacon. Não é uma pizza tradicional, mas é tão boa quanto. E sem farinha de trigo. Façam aí. Vale a pena.

(Visited 82 times, 1 visits today)
Enio Augusto
Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.
https://porfalaremcorrida.com/blogdoenio

2 thoughts on “A minha pizza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *