Uns 400 metros


Lá fomos nós para mais um treino de corrida. A semana rendeu. Sem dores e conseguindo fazer no ritmo desejado. A Track&Field de domingo foi traquila, os tiros de 1 minuto saíram bons e hoje teve mais um intervalado. Estava ali na planilha: 2 vezes de 5 de 400 metros. 5 repetições, com intervalo de 1 minuto e mais 1 minuto de intervalo para fazer mais 5 repetições.

Treinos por distância não são os meus favoritos, ainda mais quando a distância é quebrada. Meu Garmin é um 10, simples, não faz treino intervalado, não tem como programar, é tudo manual. O lap automático dele é a cada 1 km. Então, para mim, os melhores treinos de distância acabam sendo os que tem distância cheia, tipo 1 km, 2 km, porque fica mais fácil de controlar e um pouco automatizado.

Falo isso porque dada a simplicidade do Garmin, tenho apenas duas telas com informações: ou é tempo e distância ou é tempo e ritmo da volta. Nos intervalados por tempo, coloco na segunda tela e consigo ter noção do ritmo. Quando é por distância quebrada, preciso deixar na primeira tela e perco a referência de ritmo.

Esses são os motivos de gostar mais quando tem 10 vezes de 1 minuto do que 10 vezes de 400 metros. Para esta distância, o intervalado em tempo seria de 2 minutos, mas resolvi seguir o que estava na planilha. Tentando ver o lado positivo da coisa, seria uma forma de testar minha sensação de esforço para completar todos abaixo de 2 minutos, o que daria ritmo médio abaixo de 5 min/km. Sem referência, teria que ser apenas no achismo.

Ter que ficar olhando quando vai dar a distância é ruim, mas consigo fazer sem muitos problemas. Algumas séries deram 410 metros no Garmin, mas durante o treino só a última repetição fechou em exatos 2 minutos. Todas as outras foram abaixo, o que já me garantia o ritmo estipulado. Esta última foi uma das mais lentas, mas foi também com 410 metros. O ritmo variou entre 4:46 e 4:57. Fui, de certa forma, constante. Teve uns altos e baixos, mas a maioria dos tiros foram meio iguais.

O ponto negativo de hoje é que consegui uma bolha no dedo mindinho do pé direito. Utilizei o Adios Boost 1 e, por alguma razão, o dedinho do lado direito ficou roçando com o tecido do tênis. Nos últimos tiros, já estava sentindo um pouco ali do lado, mas continuei. No fim, estava mais dolorido. Em casa, confirmei que não era por acaso: uma bela bolha vermelha de sangue. Preciso testar mais o tênis e com outras meias para saber se isso vai acontecer em outras situações, inclusive em ritmo mais leve. Talvez correr mais rápido possa ter influenciado.

Sábado não tem corrida, mas vai ter bike. Espero que consiga fazer pelo menos 90 minutos. Vai depender do frio e da minha vontade. 30 minutos garanto. Mais que isso não se sabe. Domingo tem mais um treino e terei que fazer 8 vezes de 3 minutos. É mais do estilo que gosto, por tempo. Em teoria, tem que dar mais de 600 metros. Espero que o ritmo continue encaixando e que a bolha já esteja sem incomodar.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *