Uma pequena folga


Não adianta planejar muito porque é fácil demais para qualquer pequeno ato mudar tudo. Semana passada, escrevi da preguiça como companhia e dos dias de férias. Pois bem. Uma pequena infecção intestinal causou um grande transtorno desde quinta à noite.

Deu uma boa prejudica na vida. Desde quinta não corro e não vou mais correr até o fim do ano. Amanhã, tenho uma cirurgia nos olhos e é muito improvável que eu seja liberado para correr ainda em 2016. E, mesmo que isso acontece, já botei na minha cabeça que não vou correr.

Vou ficar descansando e esperar 2017 começar para efetivamente iniciar meus treinos. Dezembro já estava com poucos treinos, ainda que tentando manter um ritmo não tão lento. O combo do Mova Mais ficou em 152 dias. Queria ver até onde mantinha. Foi até o limite que o corpo disse para parar.

Pensava eu que poderia ser algo com dores nas pernas, cansaço e tal, mas que nada… foi por causa de um fator indireto, mas que interfere diretamente na corrida. Achei até que o último dia que ia correr seria amanhã, ficando com pelo menos 11 dias parado. Como o transtorno no estômago adiantou as coisas, serão, no mínimo, 16 dias sem correr.

A pior parte é o retorno. Sempre é. Aquela coisa de voltar devagar, não exigir demais. Tudo que a gente já sabe e, às vezes, acaba atropelando. No entanto, se pensar que 2016 foi tão complicado com pequenas lesões, essa parada vai ser até boa para um descanso geral. Como em dezembro estava tudo indo bem, as perspectivas para 2017 são boas. Corrida de novo só em 2017.

(Visited 42 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *