A tal da energia


No último sábado, na Maratona Beto Carrero, só tinha levado uma toalha, uma jaqueta e uma garrafa de água. Julguei ser suficiente. Até que deu tudo certo, não tive maiores problemas. A parte ruim é que enquanto a equipe não terminava a prova, não era possível adentrar na tenda com as frutas e água. Então, caso terminasse a água não tinha muito o que fazer.

A garrafa que levei era de 1,5 litros. Aguentou até o fim da corrida. Ocorre que depois de 3 voltas, já estava todo dolorido, só pensando em que condições faria a última volta. Foi quando a Jany e a Ana, que estavam ali correndo também, cada uma em uma equipe do Loucos por Corridas, ofereceram bananinhas, barrinhas e chocolate.

Primeiramente, pensei em gentilmente recusar. Não era algo realmente necessário. Só que daí me veio na cabeça o seguinte: era a última volta, já estava todo quebrado, sem vontade. Por que não comer algo e de repente ter energia para terminar a corrida? Comi 2 bananinhas, um Charge, um Chokito branco e um barra de proteína/cereal.

Tomei uns goles de água e logo o Guilherme chegou. Peguei o bastão e fui. O 1º km realmente saiu bom, mas não sei até onde era empolgação e até onde era um gás a mais. Mais provável que fosse empolgação porque o ritmo só caiu nos quilômetros seguintes. A energia não veio, nem como placebo serviu. Pelo menos não fiquei arrotando as comidas durante a última volta, mas não senti nenhum efeito prático.

Deve ser porque quando você está exausto, sem muita capacidade física, não importa o quanto de energia você coloca para dentro. Não há meios para gastar. No fim, corri 20 km no total e comi umas porcarias que não comeria em um dia normal. Meio que compensei correndo o que comi. Talvez se tivesse comida antes tivesse algum efeito. Ou continuasse a mesma coisa. Tenho quase certeza que se ficasse só na água o efeito seria muito parecido.

(Visited 26 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *