Relatório de setembro 2017


Setembro teve seu fim e nele também tive meus melhores dias correndo. Inclusive, voltei a pedalar, mas sem foco em treinos de bicicleta, mais como meio de transporte, que é o que a bike permite fazer sem consequências ruins para o corpo. Foram menos atividades em setembro, mas mais dias correndo. Isso porque em agosto teve a Maratona Beto Carrero e um dia de treino duplo.

Setembro foram 17 dias correndo. Basicamente terça, quinta, sábado e domingo. Participei apenas de uma corrida, que foi o Circuito das Estações Etapa Primavera em São Paulo. Não estava nos planos. Acabou acontecendo de repente e foi muito bom. Garanti o, até agora, recorde do ano nos 5 km. Passaria o mês todo sem corridas se não fosse ela.

Apesar dos treinos serem mais curtos e mais intensos, a regularidade se mostrou importante, visto que foi o mês que mais percorri quilômetros desde que voltei aos treinos em maio, após o problema no joelho. Não foi o maior número de minutos nem a melhor média de distância e tempo, mas foi a melhor no ritmo médio. Isso eu gostei bastante.

Esses treinos mais intensos refletem nisso. Mesmo fazendo o aquecimento e trotando no fim, ainda com os intervalos de descanso, o ritmo forte dos intervalados acaba trazendo o ritmo médio para baixo. Espero continuar assim em outubro. Se conseguir repetir setembro já vai estar lindo. É até agora o mês que serve de referência de bom rendimento nos treinos.

O melhor de tudo é não sentir nem sinal das dores no joelho. Eventualmente, sim, ele dá umas reclamadas. Temos um menisco rompido, afinal. No entanto, dada esta situação, ele vem se comportando muito bem. Acredito que menos treinos, embora mais intensos, tenha ajudado, além do pilates. Fora que em setembro comecei a vir pedalando para o trabalho. Querendo ou não, são estímulos e fortalecimentos que eu não dava para as pernas e para o corpo até então. Outubro devo participar de mais corridas, mas quero manter o padrão do mês anterior nos treinos.

(Visited 22 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *