Relatório de fevereiro 2018


Fevereiro foi um mês razoável. Poderia ter sido muito melhor, mas a canelite me impediu de treinar com mais frequência. Tive que dar dois dias de descanso entre um treino e outro em alguns momentos. A ideia era pelo menos repetir a quilometragem de janeiro, já que os fins de semana teriam treinos mais longos. A média até foi maior, mas fiz 5 treinos a menos. Mesmo que fevereiro tenha menos 3 dias, poderia ter feito mais se a canela estivesse 100%.

Mesmo assim, gostei das rodagens que fiz. Teve de 10 km, 11 km e 14 km. Voltei a fazer treinos intervalados no fim do mês, mas ainda longe do ritmo que poderia fazer se estivesse tudo normal. Participei dos 10 km na Track&Field Run Series Market Place e consegui melhorar o tempo na distância que tinha feito no Troféu Cidade de São Paulo. O fim do mês foi mais animador porque a canela quase não incomodou. Os treinos intervalados voltaram, ainda não tão intensos e talvez uma vez por semana por enquanto.

Gostei bastante da média de tempo correndo e da quilometragem. Mostra que se não fosse a canela, provavelmente seria um mês ainda melhor do que janeiro, inclusive no volume mensal. Espero que em março os sinais da canela sumam aos poucos e consiga encaixar mais treinos longos. A princípio, devem ficar três treinos na semana, mas o objetivo é voltar a fazer os quatro de janeiro. O ritmo médio está legal e espero que em março consiga fechar o total com treinos em maior número do que os dias de descanso.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *