A preguiça como companhia 2


No ano passado, fiz um post falando de como eu queria que fosse meu dezembro em 2016. Como 2016 foi tumultuado e inconstante, não consegui me dar 30 dias de férias. Entretanto, consegui deixar dezembro como um mês de folga. Estou correndo pouco. Em geral, tenho corrido um e descansado dois dias. Treinos curtos e rápidos. Não é uma parada total, mas não é nenhum comprometimento muito grande.

Quando escrevi o texto, tinha como base os anos anteriores e, principalmente, 2015, quando corri bastante. Este ano só consegui engrenar os treinos depois de agosto. Até ali, foram muitos dias parados em sequência por conta de diversas pequenas lesões. Agora parece que tudo voltou ao normal. Os 30 dias de férias, sem correr, não vão acontecer. Depois de tantos problemas, eu quero correr, ainda que de forma intermitente. Estou mais descansando do que correndo, mas correndo. A preguiça quase sempre tem sido minha companheira. O horário do trabalho nessas semanas de dezembro não me ajuda muito a correr pela manhã nos dias de semana. Precisaria acordar antes das 6 horas e aí entra a preguiça. Deixo o treino para a parte da noite, depois das 19 horas, quando já não tem mais sol.

Treinar à noite é uma das coisas que menos gosto de fazer. Quem aparece novamente? A preguiça! Sim, ela de novo. Já teve muitos dias em que o dia estava perfeito para correr. Só me faltou a vontade. Basicamente, estou correndo baseado no Mova Mais. Até pretendo fazer um post sobre isso também. Como não quero perder o combo de dias seguidos, não posso ficar mais de 2 dias sem atividade física. Tem que ser pelo menos 30 minutos. Nesse momento, a preguiça perde parcialmente. Falo parcial porque eu saio para correr, mas a vontade é tanta que aos 31 minutos já estou pensando em parar.

O objetivo ainda é, em um fim de semana qualquer, correr 1 hora ou mais, só para não ficar nas distâncias curtas, mas o que está faltando atualmente é conseguir me motivar para isso. O problema todo é que a cabeça já está pensando em 2017. Todo o planejamento, ainda que não tenha nada confirmado, está nas provas do ano que vem. Até porque neste ano não dá para fazer mais nada. Como o foco está no ano que vem, acho que só depois de 31 de dezembro para conseguir treinos de mais qualidade e de mais vontade.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “A preguiça como companhia

  • Daise

    Estou na mesma por aqui… Hoje deixei pra correr no fim do dia, mas são 19h10 e meio que tô enrolando. Já pensei em sair pra pedalar e ir correr amanhã de manhã, só que a previsão é de chuva. Ainda não sei o que farei, mas espero me motivar pra sair de casa.