Pneu cheio


As coisas que a gente descobre e que são tão óbvias. Ontem, antes do treino de bicicleta, que consistia em tiros de 20 segundos, verifiquei que os pneus da bicicleta já estavam murchos. Não era muita coisa, mas era um nível que precisava fazer mais força do que o normal.

Fui na loja de bicicleta e pedi para encherem. A diferença que notei foi gritante. Sim, eu sei que é ruim pedalar com pneu mais vazio, assim como é no carro, mas não sabia que influenciava tanto. Percebi também que já deveria ter enchido ele antes.

Antes de sair, sempre dou uma olhada para ver como está o pneu, mas nunca me importei muito se não está muito cheio. Saía para pedalar normalmente. Ontem, depois de encher, é que vi que passei alguns dias pedalando fazendo muito mais força do que o normal, devido ao pneu mais vazio.

Para ter ideia, foi a primeira vez que fiz um tiro de bicicleta com velocidade maior do que 30 km/h. Com o equipamento que tenho, passar disso já é algo que considero bem legal. Mais me parece até perigoso. De toda forma, a maioria dos tiros passaram dos 30 km/h.

Talvez eu tenha que encher os pneus antes de cada saída para pedalar, mas a preguiça me impede. Protelo até quando não dá mais. Pneu mais vazio faz ter que usar mais força. Não sei o que é bom ou ruim para mim e para bicicleta, mas os treinos sempre acontecem. Só que ontem foi muito mais fácil.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *