PFC 113 – Recorde Pessoal 3


É um dos maiores momentos para todo corredor. O recorde pessoal. Aquela emoção e sensação que todos os corredores já passaram alguma vez na vida. Até quem corre sem se preocupar com tempo sabe qual foi seu tempo mais rápido nas distâncias principais. Pode não saber exatamente, mas é impossível não sabe pelo menos os minutos. Conquistar o tão sonhado RP ou PB depende de diversas situações e variáveis. Nesta edição, falamos sobre o que é um recorde pessoal e quando um recorde vale ou não vale, baseado exclusivamente na nossa opinião e nos nossos critérios. Deixe nos comentários qual a sua opinião sobre recorde pessoal.

Participantes: Enio Augusto, Guilherme Preto e Nilton Generini.

Assuntos mencionados na edição:

Assista à edição 113 no YouTube:

Onde encontrar o Por Falar em Corrida:

Escute o Por Falar em Corrida

(Visited 98 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 pensamentos em “PFC 113 – Recorde Pessoal

  • Guilherme Garcia

    Fala aê galera do PFC. Sou meio novato no mundo dos Podcasts, mas gostei bastante do PFC então estou ouvindo os antigos para me atualizar. Já devem ter visto outros comentários meus por aí e estou fazendo questão de comentar os podcasts, ou, pelo menos aqueles que eu gosto mais (na verdade os que da tempo) pois não deixa de ser um reconhecimento para vocês que perdem um tempão fazendo e editando esse maravilhoso programa.
    Bem, achei meio radical demais os critérios para validar o RP baseado no GPSs. Já li em alguns artigos e revistas de diferentes fontes sobre os tipos de GPS e o erro de medição de cada tipo. O GPS que utilizamos em corrida tem um erro de ±20m. Traduzindo para a nossa prática, uma prova de 10 km pode, no fim das contas, medir 9,8 a 10,2 km no seu GPS. Inclusive corri um 10km esses dias e o meu relógio (que é da TOM TOM e utiliza sistema diferente da Garmim) 0,2km a mais que o GPS de um amigo que correu do meu lado. Nesse sábado, o longo saiu 18km no meu GPS e de uma amiga que usa um polar marcou 18,3.
    Não sou um corredor obcecado por realizar provas, prefiro treinar bastante para um objetivo ir para essa prova e realizar o que eu planejei (ano passado fiz 4 provas e nesse ano acho que vou fazer no máximo umas 6 incluindo minha estreia na maratona). Dessa forma, entendo que julgar se nossos RP valeram ou não (ainda mais que somos amadores) com base no resultado do GPS é uma armadilha e podemos ficar frustrados por ter despendido tempo na preparação para aquele resultado porque um organizador de prova ou um GPS errou 100m a menos na distância. Para mim o que vale é consegui desempenhar o que eu queria na prova ou não. Me sinto muito mais motivado dessa forma, embora entendo que sim, temos que ter cuidado pois poucas provas são bem aferidas.
    No mais, parabéns pelo programa novamente, espero que continuem por muito tempo e um grande abraço.

    • Por Falar em Corrida Autor do post

      Legal. Não escuta os muito antigos haha. Você vai perceber uma queda na qualidade. 😀
      É sempre bom receber comentários. Parece que de fato alguém está ouvindo. 🙂

      Agora não lembro mais o que falamos nesse podcast haha. Mas não é basear o recorde no GPS. Usa-se como referência porque se marcar a menos é quase 100% de chance da prova não ter a distância anunciada. Nas meias e maratonas é bem difícil marcar a menos.
      E essa parte lembro de falarmos no podcast: é um critério pessoal. Cada um tem o seu. 😀

      Valeu pela mensagem. De fato, temos visto vários comentários seus. Não nos importamos que continue.
      Abraço.