Os dias seguintes


Segunda foi dia de correr. A princípio, está tudo em ordem. Não senti nenhuma dor e nenhum incômodo posterior. Por via das dúvidas, coloquei gelo no joelho. A situação está normal, sempre reiterando que é a normalidade de quem tem uma rotura no menisco.

Depende muito dos movimentos que faço. Notei que me incomoda mais quando fico muito tempo sentado com a parte não estendida. Tem dias que sinto mais, outros menos, mas nenhuma dor como no início de abril. Mesmo depois de correr, estou sem dor.

O dia seguinte do pilates também foi melhor do que o esperado. Geralmente, esses dias posteriores me fazem lembrar bem da aula, porque sinto cada parte do corpo trabalhada. Na última quinta, sofreram as pernas. Fiquei sexta e sábado sentindo o posterior da coxa. Foi passando, mas ainda ontem sentia algo dependendo da posição que ficava.

Para vocês verem o que a falta de fortalecimento e uso do músculo por 30 anos faz. Ontem, a parte que sofreu mais no pilates foi o braço. Logo depois da aula, nem conseguia levantá-los direito. Hoje já está mais normal, embora um pouco dolorido.

Já tive dias seguintes mais ruins. Durante a semana, ainda tem alguns treinos de bicicleta e mais uma aula de pilates. Sábado é dia de mais um teste de corrida. Espero que fique tudo dentro do esperado com o joelho.

(Visited 18 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *