Os braços


O pilates começou há algumas semanas e não sei ainda como está sendo o resultado na parte do fortalecimento. Acredito que dentro dos três primeiros meses que já garanti vai aparecer alguma coisa mais nítida. Por enquanto, os resultados mais sentidos na prática são as dores por todas as partes do corpo, em especial nos braços.

As aulas, em geral, ainda têm um grau de dificuldade elevado, mesmo os exercícios mais simples. O primeiro lugar que senti mais foi no abdômen. Ali foi complicado. Fiquei uns dois dias lembrando do exercício. As pernas foi mais tranquilo, não me incomodei muito, exceto no dia que fiz exercício para as panturrilhas. Ali, fiquei sentindo por dias.

Nada, porém, se compara, aos braços. O que faz todo sentido, na verdade. Nunca fiz nenhum exercício para os braços. A força que tenho neles ali é quase nenhuma, serve só para carregar sacolas e caixas. O pilates me fez descobrir que eles existem e podem ser trabalhados. É o exercício que mais sinto nos dias seguintes. Já nem sei mais dizer onde incomoda mais.

Teve dias de mal conseguir levantar o braço, outros de não conseguir fazer movimentos bruscos, às vezes espreguiçar é difícil. Junto com o braço, vem as dores no peitoral também. É uma mistura de desconforto. No entanto, tudo é adaptação, como falei ontem da dor na bunda na bicicleta. Com o tempo, acredito que as dores iniciais vão diminuir. Por enquanto, está complicado. Pensando pelo lado positivo, até não está um caos tão grande, já que são músculos que ficaram meio que inativos por 30 anos.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *