O último treino

Ao que tudo indica, hoje foi o último treino de corrida antes da Meia de Floripa. Há boatos de que pode acontecer um trote no sábado, mas tudo vai depender do joelho. Talvez seja melhor deixar ele quietinho para sofrer tudo o que precisa no domingo. Esta semana tinha treino programado na segunda também, mas o joelho estava dolorido. Na atual situação, já aprendi quando devo correr ou não. Ter a segunda de descanso já teve reflexos positivos. Terça-feira foi melhorando e hoje acordei sem nada incomodando.

O previsto para hoje era um aquecimento, 5 repetições de 1 minuto, com intervalo de 1 minuto de trote e 1 minuto de descanso depois da série. Em seguida, 5 minutos, com 1 minuto de descanso. Para terminar, mais 5 repetições de 1 minuto. Em teoria, os tiros de 1 minuto deveriam ser em ritmo de recorde dos 5 km e os 5 minutos em ritmo de recorde dos 10 km. A prática foi que corri no ritmo mais forte que dava no momento de cada um.

Tinha as preocupações de sempre: joelho e panturrilhas. O joelho porque a gente nunca sabe quando o menisco vai reclamar e as panturrilhas porque ainda não estou com o ritmo de corrida que gostaria. O joelho passou no teste. Apenas nos primeiros 10 minutos ele deu uma reclamada, mas foi só aquecer um pouco que foi tranquilo. Não vou dizer que não sinto nada. É nítida a diferença entre o joelho bom e o que tem o menisco rompido, mas as dores não apareceram. As panturrilhas também se comportaram bem. Parece que se acostumaram.

Como eram repetições curtas, tentei fazer o mais rápido possível. As primeiras 5 ficaram com ritmo bom, a maioria abaixo de 5 min/km. Quando veio o tiro mais longo, de 5 minutos, tentei apenas correr. Olhava o ritmo no relógio a cada 250 metros, com base nas marcações da Beira Mar. Na primeira parcial, estava com 5:02 min/km. Pensei: OK, FOI O INÍCIO MAIS EMPOLGADO, A PARCIAL SEGUINTE VAI MOSTRAR A REALIDADE. Eis que a parcial mostrou 5 min/km. Aí virou questão de honra manter o ritmo e até tentar melhorar. Na terceira parcial estava 4:59 e os últimos 250 metros fui controlando. O ritmo ficou variando e fechei com 5 min/km. Sem dores e maiores incômodos. O treino estava indo muito bem.

Ainda faltava a última série de 5 vezes de 1 minuto. Todas saíram abaixo de 5 min/km e ainda fiz um trote de 5 minutos até chegar em casa. O resultado final foi ótimo, além do esperado. Joelhos e panturrilhas sem maiores problemas. O que falta ainda é fôlego. O condicionamento está legal por causa da bike, mas o movimento da corrida acaba desgastando mais. Sinto que há espaço para melhorar nesse aspecto. Não tem mais tempo até a Meia de Floripa, mas para o futuro acredito que vou chegar mais perto do patamar que considero ideal.

Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *