O calor nosso de cada dia

Os meses de dezembro e janeiro são especialmente cruéis com os corredores. E também com qualquer pessoa que tenha que sair na rua para fazer seja lá o que for. Pior mesmo é TER que fazer isso. No nosso caso, vamos porque queremos, mas sofremos igual, ainda que tenhamos a possibilidade de usar o mínimo de roupa.

Como meu horário de trabalho foi alterado novamente, correr de manhã tem que ser antes das 6 horas da manhã. No momento, não estou com essa vontade toda de correr de madrugada. Seria um ótimo horário para fugir do sol, mas o foco não é tão grande que me faça acordar cedo.

Desta forma, tenho optado por correr no fim de tarde, sempre depois das 19h. O calor ainda está presente, mas bem menor. Como está escurecendo, ameniza um pouco. Vez ou outra cai uma chuva de verão e ajuda também. Durante o treino, nem sinto tanto. O problema é depois, que fica abafado e o suor demora a parar.

O calor vai continuar incomodando por alguns dias, talvez meses, mas sempre há meios de fugir dele. Por exemplo, se você sai para correr ao meio-dia, é um tanto óbvio que vai ser um treino mais complicado. Ajeitando aqui e ali, observando os horários e clima, é possível evitar o calor mais intenso.

Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *