Menos sofrimento


Faz algum tempo que tenho tentando apenas aceitar as situações que aparecem. Se um dia não estou muito bem, o treino não sai da melhor forma. Faz parte. Se estou bem, o treino sai melhor. Que bom. Se tem vento, é ruim, mas isso pode ser bom para as corridas futuras, trabalhar na adversidade. Se não tem vento, aproveita para correr melhor.

E assim vamos em frente. Estou tentando reclamar menos. Se não é algo que eu tenha controle ou não possa tentar modificar, não vale a pena se desgastar reclamando ou querendo que fosse diferente. A situação apresentada é uma e é com ela que temos que lidar. Ontem, por exemplo, até queria fazer os 2 km forte mais rápido, mas não consegui.

Em outros tempos ficaria mais chateado, mas atualmente fiquei satisfeito por ter feito o treino, ainda que aquém do ritmo que gostaria. No fim das contas, vale mais sair para correr do que não sair. Se o treino for lindo, que maravilha. Se não der nada certo, melhor feito do que perfeito. Toda situação adversa que aparece pode ser utilizada de uma forma positiva.

No momento pode ser horrível e parecer que o mundo vai acabar, mas daquilo ali conseguimos tirar algum aprendizado. Nem que seja não correr mais quando tiver vento sul ou algo do tipo. Os últimos podcasts que fizemos com a Monja Coen e com o Daniel de Oliveira me ajudaram nisso. A gente ainda reclama, porque faz parte haha, mas já melhorei um pouco. Amanhã tem 6 x 4′ e acho que vai ser bem complicado. Espero que seja um bom dia porque da chuva parece que não vou escapar.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *