Meia Maratona de Florianópolis – 19/11/2017


meia maratona de florianópolisA Meia Maratona de Florianópolis de 2017 aconteceu no dia 19 de novembro. Foi a 13ª edição da corrida, pelo que o narrador falava no microfone. Tinha a distância principal, os 21 km, e também as alternativas, de 10 km e 5 km. A largada e retirada do kit aconteceram na Praça Sesquicentenário, na Beira Mar Norte, o recuo depois do recuo do Trapiche.

RESULTADOS
SITE DA PROVA

A retirada do kit da Meia Maratona de Florianópolis foi na sexta e sábado e lá tinha também uma feira com alguns produtos expostos. Alguns preços estavam muito bons. Não comprei nada porque não estou em condições, mas tinha coisas boas para aproveitar. Fui retirar o kit no sábado e, infelizmente, estava chovendo. Mesmo assim, a área da feira estava coberta e não tive problemas. O pior mesmo foi sair do carro na chuva e no vento para chegar até lá.

Uma coisa legal da retirada do kit da Meia Maratona de Florianópolis é que também tinha que deixar 1 kg de alimento não perecível. De acordo com a organização, foram 5 mil inscritos. De acordo com o resultado, quase 4 mil concluintes. Ou seja, muitos quilos foram doados e vão ajudar uma instituição que realmente precisa. Além disso, quem esqueceu de levar o kit no dia poderia levar no domingo também.

O kit era básico, como acontece nas corridas da Corre Brasil. E isso não é ruim. Para mim não é, pelo menos. Veio uma camiseta azul, o número de peito e o chip. O suficiente e o necessário. Ainda tinha um pacote de café, uma barrinha de frutas, sabor banana, além da revista da Corre Brasil. Desta vez, na revista, veio também o calendário de 2018 da Corre Brasil. Já dá para planejar o ano que vem.

Kit retirado, era só esperar o grande dia. Fui nos 5 km, em busca de um novo recorde na distância. Tentar a gente sempre tenta. Os 21 km largaram às 7h e quem estava nos 10 km e 5 km largou às 7h30. Foi legal para ver a largada dos amigos que iriam correr a meia maratona. Este ano não tive condições e vontade de correr os 21 km, mas ano que vem pretendo voltar à meia.

Choveu no sábado e havia um receio de chover no domingo também. Felizmente, o domingo foi de tempo nublado, com sol tentando sair, mas sem muito sucesso. O clima estava com um ar gelado, muito bom para correr, ainda mais largando cedo. O problema é que quando chove, no dia seguinte tem vento. E o domingo de manhã teve mais vento do que o normal para esse período.

A largada de todas as distâncias ia em direção ao sul. Já na largada, pegamos um pouco de vento contra. Como era início de corrida, não tinha muitos problemas. Atrapalhava, mas ainda tinha energia para seguir em frente. O retorno depois de pouco mais de 1 km ajudava porque o vento empurrava. O problema é que tinha mais o último retorno depois do km 4. Mais 1 km de vento contra. Não senti tanto porque estava fazendo 5 km. O pessoal da meia sofreu mais.

Meu plano era tentar correr forte e ver se saía um novo recorde nos 5 km. O sonho era correr sub 22 minutos, algo em torno de 4:24 min/km. Já no 1º km vi que não ia dar certo o sub 22. O recorde, porém, era possível. Fiz em 4:28 o 1º km e em 4:26 k 2º km. Por enquanto, tudo dentro do previsto. No 3º km, o cansaço chegou e fiz em 4:33. Ainda no objetivo. O 4º km saiu em 4:31. Não era o ideal, mas ainda não estava perdido. Por fim, fiz os últimos metros em 4:30.

Falo último metros porque erraram nos retornos dos 5 km e dos 10 km. Fizeram antes do indicado no mapa do percurso. O resultado disso foi que as duas distâncias tiveram metros a menos. Os 10 km ficaram com 9,7 km e os 5 km com 4,7 km, aproximadamente. No Garmin, fechei a corrida com 21:01 e 4,68 km, média de 4:30 min/km. No resultado oficial, deu 20:57. Pela projeção de ritmo, daria 22:24, um novo recorde por meros 3 segundos.

Infelizmente, sem distância, sem recorde. Teve ainda o fato de não acelerei tudo que podia quando vi que não ia dar a distância. Meio que desanimei e cheguei quase caminhando. Tudo indica, portanto, que, caso houvesse a distância, teria me esforçado mais, tentando o recorde pessoal, mesmo que o sub 22 não fosse viável. De positivo, ficou o fato de que consegui por mais uma corrida manter o ritmo abaixo dos 5 min/km. Foi a segunda seguida em que fiz 4:30. Já havia sido assim no Circuito Athenas São Paulo, onde fiz o recorde pessoal nos 5 km.

Pelo mapa no site, o retorno teria que ser feito alguns metros depois. Fui conferir na internet e em mapas, falei com a organização. Os percursos foram aferidos e averiguados pela federação. O que me leva a crer que o ser humano que foi designado para colocar os cones e a placa do retorno fez isso no lugar errado. Foi um erro muito grande, diferente das corridas que por vezes faltam poucos metros ou dão metros a mais. Importante ressaltar que só teve essa diferença nos 10 km e 5 km. Na meia maratona deu tudo certo.

A Meia Maratona de Florianópolis mais uma vez foi super bem organizada, com excelente estrutura, tudo perfeito. O único ponto negativo para mim foram as distâncias a menor nos 5 km e 10 km. De resto, nada a reclamar. Foi mantido o padrão de organização das provas da Corre Brasil. Ano que vem já tem data. Será dia 25 de novembro. De acordo com o resultados, os concluintes aumentaram em todas as distâncias. Ano passado, foram 3188 no total. Este ano, 3760, sendo 1908 na meia, 890 nos 10 km e 962 nos 5 km.

Registro do Garmin da Meia Maratona de Florianópolis

Fotos da Meia Maratona de Florianópolis

(Visited 101 times, 1 visits today)

Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *