E se foi o pneu 2


Para minha surpresa, a planilha dos treinos da semana chegou no domingo já com treino na segunda-feira. Achei que ia ter alguma folga, mas não. Estava lá: 30 minutos de bike. Depois de um fim de semana intenso, com bike no sábado e bike mais corrida no domingo, mais meia hora pedalando. Como sou de cumprir o que a planilha pede, saí pedalando.

Parecia mais um dia normal. Meia horinha, em ritmo leve, é um treino rápido e tranquilo. Às vezes, é chato também, por ser curto e lento. Comecei o trajeto normal, rumo à Beira Mar de São José, sem grandes problemas. Eis que quando estava quase lá, um barulho, tipo um estouro de pneu que fura, rasga. Muito próximo de mim.

Pois é. Foi tão próximo que foi com a minha bicicleta. O pneu traseiro murchando deu a certeza. Com menos de 2 minutos de treino, lá estava eu empurrando a bicicleta com o pneu estourado. Até pensei em voltar para casa, mas lembrei da loja de bike que tem ali perto e fui a pé, levando a bicicleta do lado, até a loja.

Chegando lá, o rapaz viu que tinha sido o pneu mesmo. Se fosse só a câmara, o prejuízo seria menor. Como foi o pneu, lá se vai mais uma conta inesperada para a fatura do cartão de crédito. Já que estava gastando, aproveitei e comprei aquelas luzes para bicicleta. Agora posso pedalar à noite que serei visto. Não garante muita coisa, mas pelo menos ilumina bastante.

Deixei a bicicleta enquanto trocava o pneu, fui trotando até em casa, coisa de 2, 3 minutos, peguei o cartão, voltei trotando para a loja, paguei e saí para pedalar até completar a meia hora que estava programada. Como não sabia se o conserto seria na hora e rápido, não entendo nada dessas coisas, não desliguei o GPS para contar o período caminhando.

Caso fosse demorar muito, ia aproveitar que já tinha iniciado o cronômetro e ia garantir os 30 minutos do combo do Heartbit. Felizmente, o serviço era rápido e estava pronto antes mesmo de eu voltar à loja. Quando cheguei, a bicicleta estava arrumada. Só faltava pagar e sair.

O treino que seria em ritmo leve, acabou ficando com um ritmo médio geral bem abaixo do que seria. Não me importei muito. Não era o treino mais importante da semana. Ainda, no fim dos 30 minutos encontrei o Eduardo Hanada terminando o treino longo dele. Estava fazendo 27 km, preparando para a maratona.

Fui acompanhando ele no final e depois ficamos mais um tempo conversando. Não foi o melhor treino de bike que fiz na vida, mas terminou de uma maneira muito melhor do que quando começou. Passou pelo pneu estourado, pelo gasto inesperado e terminou com um bonito pôr do sol no fim de tarde e ajudando um amigo no fim do treino.

Deu ruim na bike, mas tinha conserto


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “E se foi o pneu

  • Daise

    Legal! Post inteirinho no feed, coisa linda. 🙂

    As luzinhas fazem diferença sim, muita, especialmente para a tua segurança – tens que ser visto por outros ciclistas, por motoristas e por pedestres. Eu, além das luzes, uso um colete refletivo quando pedalo à noite, e roupas claras.