Adaptando os treinos


Nesta e na próxima semana, terei os horários um pouco alterados por causa do trabalho. Com isso, os treinos também podem ser alterados. Não vou deixar de correr, mas alguns treinos de bikes podem ser readaptador ou deixados um pouco de lado.

Hoje foi assim. A planilha previa corrida, bike e corrida. Só que para isso precisaria acordar mais cedo. Já estamos no inverno. Está frio. Preferi dormir mais do que acordar para fazer o treino completo. Saí um pouco mais tarde, com mais sol, mas não deu tempo de fazer o treino de bike.

Entre corrida e bike, priorizo a corrida. Então, fiz o treino programado de corrida, só que sem a bike no meio. Em vez de dividir em duas partes, foi contínuo. Fiz o aquecimento, muito importante no frio, e fiz as 10 séries de 1 minuto.

A noite anterior foi regada a muito salgadinho e docinho. Era aniversário da Lya e eu me entupi de tanto comer. Teve também bolo, mini hambúrguer e cachorro-quente. Só não tomei refrigerante. Soma tudo isso e temos um peso extra para carregar no treino.

Fui decidido a tentar manter todos os tiros de 1 minuto com ritmo abaixo de 5 min/km. Como eram curtos, não teria muito tempo para cansar. O aquecimento não esquentou tanto, mas no decorrer dos tiros consegui até suar.

Todas séries saíram com o ritmo pretendido. As primeiras foram mais fáceis, mas também complicadas. Como ainda estava descansado, consegui correr mais rápido. Como estava frio, não estava devidamente aquecido. Mesmo assim, deu certo.

Alguns mais rápidos, outros mais lentos, alguns sentindo mais, outros fluindo melhor. O ritmo mais lento foi 4:49. Foi um treino curto, mas intenso. Espero que consiga repetir nos próximos intervalados algo próximo disso. Como o objetivo é tentar sub 25 nos 5 km, é interessante manter esse ritmo abaixo de 5 min/km.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *