32 horas em Vitória 1


O fim de semana foi bem corrido. Foram 4 estados em 40 horas. Saí sábado de manhã de Floripa, às 7h30,fiz escala em São Paulo e cheguei em Vitória. Na volta, escala no Rio de Janeiro e fim de viagem em Floripa às 23h30. O motivo da viagem foi uma prova de concurso na qual não tive o alto aproveitamento necessário, mas o passeio foi legal.

Do aeroporto fui direto para o Shopping Vitória. Aliás, o aeroporto de Vitória me chamou atenção pelo tamanho. Bem pequeno. Mal saí do desembarque já estava na rua. Fui até o shopping porque lá era mais garantido encontrar algum almoço bom e não tão caro. Shopping é bem parecido em qualquer lugar e tem os mesmos restaurantes. Lá me achei em um buffet com uma comida bem boa.

Antes da viagem, pesquisei restaurantes nas proximidades do hotel e do aeroporto e até encontrei opções interessantes, mas o shopping se fez necessário porque esqueci o cabo para carregar o celular e o adaptador. Ou seja, tive uma despesa a mais não prevista além das despesas esperadas. Quando me dei conta da ausência do cabo, tentei comprar em Congonhas, mas achei muito caro. Nas lojas do shopping, porém, não estava muito diferente. Fui em umas 4 ou 5 lojas até encontrar um valor satisfatório. Saiu pela metade do preço até então encontrado e parcelado.

Depois do shopping, fui para o hotel fazer o check-in. Fiquei no Quality Hotel Aeroporto, que é muito próximo do aeroporto, coisa de 2,5 km. Fiz a reserva pelo Hoteis.com e consegui um valor de diária abaixo do que conseguiria no próprio hotel e em outros sites de reservas onde fiz pesquisa. O melhor de tudo é que deu para parcelar. Vou lembrar desta viagem até julho ou agosto, toda vez que olhar a fatura do cartão. No hotel, fiquei surpreso com o tamanho do quarto e da cama. Um exagero de grande. Janelas enormes também, com vista para a Praia de Camburi.

Cama do hotel

Tirei as coisas da mochila e fui descansar um pouco, enquanto deixava no YouTube o aulão de revisão para a prova. Sempre podemos pegar alguma coisa de última hora. Momentos depois, recebi uma mensagem do Renan Cirilo, do podcast NaTrilha. Ele me convidou para jantar na casa dele. Encontrar quem você só conhece virtualmente é muito legal. Com comida envolvida é muito melhor. Jantei com ele e a família um excelente estrogonofe de frango. Já combinei que voltarei, desta vez para correr a 10 Milhas Garoto, com hospedagem garantida.

Eu e o Renan. Obrigado pela janta e hospitalidade

Devido ao jantar, fui dormir meio tarde, um pouco depois da meia-noite. Coloquei o relógio para despertar às 7h20, para dar tempo de correr e ainda pegar o café do hotel, que fica aberto das 6h às 10h. No entanto, as janelas enormes fizeram entrar um clarão logo cedo, antes das 6 da manhã. A cama era muito boa, mas o travesseiro achei meio desconfortável. Estava com um sono intermitente. Quando acordei em uma dessas intermitências, a luz do dia e do sol estava invadindo o quarto. Deveria ter fechado as cortinas.

Já que não ia conseguir dormir e o dia parecia que ia ser bem quente, fui me arrumar para correr. Do meu único treino em Vitória vou falar amanhã. Foi bem quente, adianto. Depois do treino, voltei para o hotel, tirei os tênis, deixei o celular no quarto, botei o chinelo e fui para a praia. Queria tomar um banho de mar, mas fiquei com receio de deixar as coisas na areia. Quando cheguei na praia é que vi que não haveria problemas. Estava bem tranquila e vazia. Marquei no GPS e do hotel até a praia deu uns 600 metros. Fiquei uns minutos ali e voltei para tomar banho e aproveitar o café da manhã.

Gostei muito do café da manhã do hotel. Havia muitas frutas, queijo, presunto, peito de peru, ovos mexidos, pão de queijo e salsicha frita (acho), além dos pães, geleias e bolos. Como depois dos treinos fico com sede, fui várias vezes pegar água. Entre idas e vindas para pegar comida, fiquei quase 1 hora no café. Voltei para o quarto, descansei mais um pouco, tomei mais um banho (estava muito quente) e fiz o check-out.

Dali, fui andando para a escola onde faria a prova do concurso. Durante o treino, fiz um trajeto para conhecer o local da prova e saber também as distâncias entre hotel e escola e escola e aeroporto. Queria ter uma ideia até para não ter o risco de perder o voo à noite. Do hotel para a escola era 1 km e da escola para o aeroporto era uns 2,2 km. Fiz os dois trajetos a pé. Cheguei na escola, vi onde era a entrada e dei uma olhada em três restaurantes ali perto. Queria muito um buffet, mas nos arredores não havia esta possibilidade. Era tudo no cardápio. Optei então pela Só na Brasa Churrascaria. Poderia ter gasto menos do que efetivamente gastei, mas comi bem. As fotos mostram o que foi o almoço. Não comi o arroz, feijão e farofa, mas o resto foi tudo.

Saladas, queijo e batata frita

Coração e alcatra

Dali, foi só botar um perfume para disfarçar o suor e ir para a escola. Fiz a prova, consegui ficar até o horário para sair com o caderno de prova e me mandei para o aeroporto. Já estava escuro e tenho meus receios de andar à noite na rua, seja em São José, seja em Vitória. Optei por andar até o aeroporto, mas quando via alguém na rua, suspeito ou não, começava a dar um trotezinho. Sei lá, sinto mais segurança correndo do que andando, parece menos propício para dar alguma coisa errada. Não era tão difícil de correr porque fui com apenas um tênis, e de corrida, para o treino de domingo. O problema era a bermuda e a mochila nas costas. E também o suor. Cheguei no aeroporto suado, grudento e meio fedido.

Logo que entrei no aeroporto, fui recepcionado pelo ar gelado do ar-condicionado, muito propício para ficar doente com a mudança radical de clima. Joguei um perfume e fui para o avião. O voo veio até mais rápido do que o previsto. Durante os voos de ida e volta vi o filme The Barkley Marathons, que alguns ouvintes e o Guilherme tinham recomendado. Filme bem legal, por sinal. Chegando em Floripa, foi só tomar banho e dormir poucas horas de sono porque segunda começava tudo de novo. Faltou só participar de uma corrida, mas foi um fim de semana bem movimentado.

Links:

http://www.atlanticahotels.com.br/hotel/vitoria/quality-hotel-aeroporto-vitoria
https://www.hoteis.com/
http://vcnatrilha.com.br/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Praia_de_Camburi
Só na Brasa Churrascaria
http://barkleymovie.com/


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “32 horas em Vitória