3 vezes de 7 minutos


Sábado foi mais um teste neste retorno às corridas. O terreno escolhido continuou sendo a grama, mas desta vez o plano consistia em correr 3 vezes durante 7 minutos, com intervalo de 2 minutos. O ritmo era o que o corpo e as pernas quisessem. Deixei a tela do Garmin sem mostrar porque queria ir na sensação de esforço. Saber a quanto estou correndo não é importante neste momento. Fiz o aquecimento até chegar na grama da Beira Mar de São José e iniciei o treino.

A primeira série foi a pior de todas. Não no ritmo, mas nas outras coisas. Senti um pouco o joelho no início, mas foi passando. No fim, estava sentindo a panturrilha e falta de fôlego. Fazia tempo que as panturrilhas não corriam por tanto tempo. Finalizei com ritmo de 6:16 min/km. Nada mal.

A segunda série foi mais tranquila na questão das panturrilhas. Não senti nada. No entanto, senti o joelho no início também. Assim como na anterior, foi passando enquanto corria. Não pareceu ser grande coisa. O fôlego continuo faltando ao fim dos 7 minutos. Embora o condicionamento esteja bom, ainda preciso me acostumar de novo a correr. Terminei com ritmo de 6:25 min/km. O mais lento dos três. Durante o treino, tinha certeza que estava mais rápido do que na primeira.

A terceira foi a melhor, mais rápida e mais tranquila. Não senti o joelho e as panturrilhas também não incomodaram. Aqui só fiquei devendo no fôlego. Talvez por ter acelerado nos últimos metros, com ritmo ali para baixo dos 5:50. Acredito que com mais treinos a tendência é ficar em dia com o fôlego. A parte do condicionamento aparente estar boa, a bicicleta tem ajudado. Esta última série fiz em 6:01 min/km.

Foi mais tempo e mais distância correndo do que o anterior e com menos incômodos e dores no joelho. Parece que está melhorando. O próximo treino de corrida deve ser na terça, quarta ou quinta. Será mais um teste para o joelho. Tenho a impressão de que seguindo assim, incluindo a bicicleta e o pilates, a tendência é a quantidade de treinos aumentar e ficar mais fácil para correr.

Para completar os treinos de sábado, coloquei em dia o treino de bicicleta que estava pendente. Deveria ter pedalado quarta e quinta, mas acabei fazendo quinta e sábado, sendo que fiz na quinta o de quarta e o de quinta no sábado. Não foi grande coisa. Terminei o treino de corrida e voltei direto para a garagem. Nem fui em casa. Peguei a bicicleta e saí para fazer pelo menos 30 minutos.

Pode ter sido o aquecimento que a corrida deu, mas foi fácil pedalar. Quando vi, estava com média acima de 20 km/h, algo bem significativo para o que eu e minha bicicleta temos condições. Foi a motivação que precisava para tentar fechar os 10 km abaixo de 30 minutos. Consegui e ainda cheguei aos 11 km, fechando em 32 minutos os 11,08 km de bicicleta. A velocidade média ficou em 20,8 km/h e eu gostei bastante.

O sábado, originalmente, seria apenas de corrida, mas acabei fazendo meu primeiro treino duplo, um atrás do outro, de corrida e bicicleta. Não sei se é melhor correr antes e pedalar depois ou o contrário, mas fiz primeiro o que era mais importante. Depois, o que estava pendente. Ficar com pendências na planilha me incomoda, ainda mais quando os treinos não saem por motivos que não são de força maior.


Sobre Enio Augusto

Começou a correr em 2008. Não estava acima do peso, mas descobriu que gostava de correr. Parecia simples e fácil. Corre mais por teimosia do que por algum talento natural. Sonha em correr mais rápido e acha que um dia vai chegar lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *